Rita Olivieri-Godet e Maria Beltrão são eleitas correspondentes da Academia

A ensaísta e pesquisadora baiana Rita Olivieri-Godet e a pesquisadora e doutora em arqueologia fluminense Maria da Conceição de Moraes Coutinho Beltrão foram eleitas membros correspondentes da Academia de Letras da Bahia.

As respeitadas profissionais foram eleitas na sessão do último dia 28 de dezembro e deverão tomar posse no primeiro semestre de 2011.

A pesquisadora Rita Olivieri-Godet foi escolhida após votação secreta nominal, quando os acadêmicos acolheram uma petição de Aleilton Fonseca indicando seu nome, que teve o parecer favorável de Carlos Ribeiro, Gláucia Lemos e Yeda Castro, cumprindo a praxe regimental.

Em plenário, as duas candidatas foram eleitas por unanimidade.

Maria Brandão foi escolhida quando os acadêmicos acolheram uma petição do acadêmico Edivaldo Boaventura, indicando seu nome, com parecer favorável de Consuelo Pondé de Sena, Cid Teixeira e João Eurico Matta.

Prêmio de Ensaio Professora titular da Universidade de Rennes 2, Rita Godet destaca-se atualmente na França por seu intenso trabalho de docente, pesquisadora e conferencista voltado para autores baianos, como Jorge Amado, João Ubaldo Ribeiro, Antônio Torres,Antônio Brasileiro, Juraci Dórea, Eurico Alves, e outros.

Recentemente, recebeu o Prêmio de Ensaio 2010, da União Brasileira de Escritores, do Rio de Janeiro, pelo livro Construções identitárias na obra de João Ubaldo Ribeiro, considerado o melhor ensaio já escrito sobre o autor baiano.

“Foi uma surpresa, mas fiquei muito honrada e feliz”, afirmou Rita Godet, que está se debruçando em novo ensaio crítico sobre a representação dos índios na literatura da América.

Reconhecimento A pesquisadora e arqueóloga Maria Beltrão tem desenvolvido amplas pesquisas em vários estados brasileiros, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas, Paraná e Bahia, com grande prestígio no exterior.

“Foi uma grande generosidade. Considero um coroamento pelas minhas atividades desenvolvidas na Bahia. Sou baiana do coração e Deus agora me deu este presente”, disse Rita Godet, que atualmente se debruça sobre novo ensaio crítico, disse ter ficado surpresa com sua eleição.

Fonte: A Tarde

Leia mais em http://academiadeletrasdabahia.org.br/blog/?p=283

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Rita Olivieri-Godet e Maria Beltrão são eleitas correspondentes da Academia

A ensaísta e pesquisadora baiana Rita Olivieri-Godet e a pesquisadora e doutora em arqueologia fluminense Maria da Conceição de Moraes Coutinho Beltrão foram eleitas membros correspondentes da Academia de Letras da Bahia.

As respeitadas profissionais foram eleitas na sessão do último dia 28 de dezembro e deverão tomar posse no primeiro semestre de 2011.

A pesquisadora Rita Olivieri-Godet foi escolhida após votação secreta nominal, quando os acadêmicos acolheram uma petição de Aleilton Fonseca indicando seu nome, que teve o parecer favorável de Carlos Ribeiro, Gláucia Lemos e Yeda Castro, cumprindo a praxe regimental.

Em plenário, as duas candidatas foram eleitas por unanimidade.

Maria Brandão foi escolhida quando os acadêmicos acolheram uma petição do acadêmico Edivaldo Boaventura, indicando seu nome, com parecer favorável de Consuelo Pondé de Sena, Cid Teixeira e João Eurico Matta.

Prêmio de Ensaio Professora titular da Universidade de Rennes 2, Rita Godet destaca-se atualmente na França por seu intenso trabalho de docente, pesquisadora e conferencista voltado para autores baianos, como Jorge Amado, João Ubaldo Ribeiro, Antônio Torres,Antônio Brasileiro, Juraci Dórea, Eurico Alves, e outros.

Recentemente, recebeu o Prêmio de Ensaio 2010, da União Brasileira de Escritores, do Rio de Janeiro, pelo livro Construções identitárias na obra de João Ubaldo Ribeiro, considerado o melhor ensaio já escrito sobre o autor baiano.

“Foi uma surpresa, mas fiquei muito honrada e feliz”, afirmou Rita Godet, que está se debruçando em novo ensaio crítico sobre a representação dos índios na literatura da América.

Reconhecimento A pesquisadora e arqueóloga Maria Beltrão tem desenvolvido amplas pesquisas em vários estados brasileiros, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas, Paraná e Bahia, com grande prestígio no exterior.

“Foi uma grande generosidade. Considero um coroamento pelas minhas atividades desenvolvidas na Bahia. Sou baiana do coração e Deus agora me deu este presente”, disse Rita Godet, que atualmente se debruça sobre novo ensaio crítico, disse ter ficado surpresa com sua eleição.

Fonte: A Tarde

Leia mais em http://academiadeletrasdabahia.org.br/blog/?p=283

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s