Abertura de seminário reúne autoridades acadêmicas e religiosas

A abertura do V Siala – Seminário Internacional Acolhendo as Línguas Africanas, na noite de segunda-feira, 22 de setembro, na Academia de Letras da Bahia, contou com as presenças do reitor da Uneb José Bites de Carvalho, da vice-reitora Carla Liane, da pró-reitora de Ações Afirmativas e de Diversidade Cultural Marta Valéria Almeida Santana, da coordenadora da Secretaria Especial de Assuntos Internacionais da Uneb e acadêmica Yeda Pessoa de Castro e do secretário da Promoção da Igualdade Racial Raimundo Nascimento, além do presidente da Academia de Letras da Bahia escritor Aramis Ribeiro Costa, dentre outras autoridades acadêmicas e religiosas.

O evento, promovido pela Universidade do Estado da Bahia – Uneb, prossegue, até o dia 26, com ampla programação de palestras, conferências, minicursos e apresentações culturais, no Teatro Uneb,  com o objetivo de valorizar as línguas negroafricanas que foram faladas no Brasil, discutir conceitos cristalizados de cultura, identidade, raça, etnia e promover o interesse por esses estudos tanto no meio acadêmico quanto entre as comunidades afrobrasileiras. Visa também dialogar com as tecnologias da informação e comunicação como proposição para contribuir no ensino-aprendizagem da historia e das culturas afrobrasileira e africanas.

Alain Saint-Saëns é empossado membro correspondente da ALB

O poeta, historiador, dramaturgo, crítico literário e tradutor francês, radicado no Paraguai, Alain Saint-Saëns foi empossado membro correspondente da Academia de Letras da Bahia em cerimônia realizada na última terça-feira, 23 de setembro, na sede da ALB.

O acadêmico Aleilton Fonseca ressaltou na oração de saudação a extensa produção literária e acadêmica do escritor, com mais de vinte livros publicados em espanhol, inglês e francês, e a contribuição prestada por ele na divulgação da literatura baiana no Paraguai onde desempenha a função de Diretor de Relações Internacionais na Universidade do Norte, em Assunção.

A cerimônia contou com a presença da esposa e filho do escritor (Lourdes e Zinedine Saint-Saëns)) e dos acadêmicos Carlos Ribeiro, Luis Antonio Cajazeira Ramos, João Eurico Matta, Myriam Fraga e do presidente Aramis Ribeiro Costa.

Os Gerais São Sem Tamanho: Cartografias do sertão rosiano

Evelina Hoisel

Desde que apareceu na cena cultural brasileira, a vasta produção literária de João Guimarães Rosa tem suscitado uma série de indagações que perpassa diversos campos do conhecimento e contempla as interpretações mais díspares e antagônicas. Isso se deve à própria confguração paradoxal desses textos, em que “tudo é e não é”, pois “este mundo é muito misturado”, como afrma o narrador protagonista de Grande sertão: veredas (1967), Riobaldo Tatarana.

Continuar lendo

ALB inaugura placa em homenagem aos patronos

A Academia de Letras da Bahia inaugurou, na última quinta-feira, 18 de setembro, a placa em homenagem aos patronos de suas Cadeiras, no Salão Nobre Magalhães Neto. O evento teve como orador o acadêmico e ex-presidente Edivaldo M. Boaventura que destacou os principais aspectos da vida e da produção intelectual dos 40 patronos, dentre os quais estão grandes nomes das letras e da história da Bahia e do Brasil, a exemplo de Frei Vicente de Salvador (1567-1639), Gregório de Mattos e Guerra (1636-1696), Alexandre Rodrigues Ferreira (1756-1815), Junqueira Freire (1832-1855), André Rebouças (1838-1898), Castro Alves (1847-1871) e Francisco Mangabeira (1879-1904).

 A iniciativa foi destacada pelo presidente da Academia, escritor Aramis Ribeiro Costa, como um registro de grande importância para a memória da instituição fundada em 7 de março de 1917. Em 2013, nesta mesma gestão, já havia sido inaugurada a primeira placa, com os nomes dos sócios fundadores. Outro passo importante, segundo o presidente, será a edição do Dicionário biobliográfico da Academia de Letras da Bahia a ser realizada até o centenário da instituição, em 2017.

Compôs a mesa, durante a cerimônia, a ex-reitora da UFBA Eliane Azevedo, os acadêmicos Myriam Fraga, Edivaldo M. Boaventura, Aramis Ribeiro Costa e Roberto Santos, a quem coube fazer o descerramento da placa sob os aplausos do público presente.

Romance de Ruy Espinheira FIlho será relançado

O romance Ângelo Sobral desce aos infernos, do escritor e acadêmico Ruy Espinheira Filho, ganha nova edição e será relançado na quinta-feira, 18/9,  na Livraria Cultura do Salvador Shopping, a partir das 19h.

Publicado pela primeira vez em 1985, o romance ganha agora uma revisão pelo próprio autor, que sempre acreditou que a história merecia um novo tratamento, que evidenciasse ainda melhor os conflitos do personagem principal – um escritor, já maduro, que passa a registrar num caderno suas impressões sobre os sentimentos e o mundo à sua volta, após a perda da mulher.

Mestre em Ciências Sociais, jornalista e professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), o autor tem vasta obra publicada em poesia e prosa adultas, além de trabalhos infanto-juvenis e teóricos, como os que desenvolveu sobre o trabalho de Mário de Andrade e Manuel Bandeira. Ruy é vencedor de diversos prêmios, dentre os quais Jabuti, Cruz e Sousa e Prêmio Rio de Literatura, este por Ângelo Sobral Desce Aos Infernos.

 

Lançamento em Salvador – 18/09, quinta-feira, das 19h às 21h30

Livraria Cultura – Salvador Shopping
Avenida Tancredo Neves, 2915 – Caminho das Árvores
(71) 3505-9050                    www.giostrieditora.com.br

convite_Angelo_Sobral__Salvador

Fotos do acervo bibliográfico do Convento São Francisco: raridade ameaçada de extinção.

Registro fotográfico e textual de peças raras do acervo iconográfico e bibliográfico do Convento São Francisco, apresentado pelos freis Walter Schreiber, teólogo e Superior do Convento, e Marcos Almeida, professor e pesquisador de História da instituição, na Academia de Letras da Bahia, no dia 11 de setembro de 2014.

Acervo do Convento São Francisco foi tema de palestra na ALB

Praticamente desconhecida pelo público baiano, a biblioteca do Convento São Francisco, localizado no Centro Histórico de Salvador foi tema, na quinta-feira (11), na Academia de Letras da Bahia, da palestra proferida pelos freis Walter Schreiber, teólogo e Superior do Convento, e Marcos Almeida, professor e pesquisador de História da instituição.

Os religiosos revelaram aspectos históricos de grande importância de um acervo rico e diversificado nas áreas de Filosofia, Teologia, Música, História, Antropologia, Química e dicionários, do Brasil e da Alemanha, que inclui raridades como o exemplar da Bíblia (1519), em Latim, um dos dois únicos exemplares existentes no Brasil (o outro fica no convento, em Petrópolis). Acervo que se encontra ameaçado necessitando urgentemente de recursos para sua preservação.

A palestra na Academia de Letras da Bahia foi a primeira iniciativa no sentido de chamar a atenção para a necessidade de preservação do Patrimônio arquitetônico, artístico e literário do Convento. Já está previsto, para novembro, o evento “Música no Convento”, projetado e planejado pelo músico Maviael Melo, com o objetivo de mostrar ao público as condições precárias em que se encontra e a necessidade de mobilização de segmentos da sociedade baiana para a sua recuperação.

A biblioteca do Convento, construída entre 1749 e 1752, tem uma história riquíssima que merece ser conhecida e que inclui momentos difíceis, de total abandono, decorrente da crise que atingiu toda a vida religiosa no Brasil, a partir do governo do Marquês de Pombal (1750-1777), e de prosperidade, com a revitalização do acervo promovida pelos Franciscanos alemães da Província de Santa Cruz da Saxônia, no período conhecido como a Restauração Alemã, iniciada em 1892.

ALB homenageia memória de João Ubaldo Ribeiro

homenagem_joao_ubaldo_ribeiroA Academia de Letras da Bahia realizou, no último dia 9 de setembro, a Sessão de Saudade em homenagem ao escritor e acadêmico baiano João Ubaldo Ribeiro. Morto em 18 de julho, no Rio de Janeiro, aos 73 anos, em decorrência de uma embolia pulmonar, João Ubaldo ocupava a cadeira número 34 da Academia Brasileira de Letras, e a número 9 da ALB.

Autor de romances consagrados, a exemplo de Sargento Getúlio e Viva o povo brasileiro, além de prestigiado cronista, jornalista e ensaísta, Ubaldo teve aspectos da sua vida e obra lembrados pelo acadêmico Joaci Góes, orador da sessão que contou também com depoimentos dos acadêmicos Consuelo Pondé de Sena, Edivaldo Boaventura, João Eurico Matta e o presidente Aramis Ribeiro Costa. A sessão contou com a presença da filha do escritor, Emília Ribeiro.