Os Gerais São Sem Tamanho: Cartografias do sertão rosiano

Evelina Hoisel

Desde que apareceu na cena cultural brasileira, a vasta produção literária de João Guimarães Rosa tem suscitado uma série de indagações que perpassa diversos campos do conhecimento e contempla as interpretações mais díspares e antagônicas. Isso se deve à própria confguração paradoxal desses textos, em que “tudo é e não é”, pois “este mundo é muito misturado”, como afrma o narrador protagonista de Grande sertão: veredas (1967), Riobaldo Tatarana.

Anúncios