Acadêmicos destacam trajetória de Consuelo Pondé de Sena

Os membros da Academia de Letras da Bahia realizaram ontem (11.06), na sede da instituição, no bairro de Nazaré, a sessão regimental com depoimentos saudosos sobre a acadêmica e historiadora Consuelo Pondé de Sena, falecida no último dia 14 de maio, aos 81 anos.

Ocupante desde 2002 da cadeira nº 28 da ALB, Consuelo Pondé de Sena destacou-se em seus estudos sobre a Língua Tupi e a Etnologia Geral e do Brasil. Atualmente, presidia, pelo quinto mandato, o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia – IGHB. Colaborou também durante muitos anos com os jornais Tribuna da Bahia e A Tarde.

Com inúmeros trabalhos publicados, é autora de livros como a‘Trajetória Histórica de Juazeiro, em colaboração com Angelina Garcez (1992); Cortes no Tempo (crônicas),da Fundação Cultural do Estado da Bahia / Memorial das Letras, 1997; A Hidranja Azul e o Cravo Vermelho(crônicas),SCT/SUDECULT, 2002; Bernardino de Souza: vida e obra, Quarteto Editora, 2010; e No Insondável Tempo, (crônicas).

Em seus depoimentos, os acadêmicos foram unânimes em destacar e exaltar a vigorosa e exuberante atuação intelectual de Consuelo Pondé de Sena, a quem intitularam como a “grande dama da Bahia”, pelo seu dedicado trabalho de valorização da história e da memória cultural do Estado da Bahia.

Estiveram presentes à sessão a filha de Consuelo Pondé Sena, Maria Luiza Pondé de Sena, assim como os irmãos Pedro e Solange Pondé, a cunhada Edla Angeline e o sobrinho-neto Leonardo Fraga Sena. Funcionários do IGHB também compareceram à cerimônia.

Anúncios