Homenagem ao centenário de Oldegar Franco Vieira

A homenagem feita pela Academia de Letras da Bahia pelo centenário de nascimento do poeta, professor e jurista Oldegar Franco Vieira, que foi titular da Cadeira de nº 11, foi marcada por cânticos e declarações poéticas de amigos e familiares daquele que foi um dos maiores nomes do Haikai – modalidade japonesa de poema sintético marcada pela concisão e objetividade – no país. A solenidade foi realizada no último dia 18 de junho (quinta-feira), na sede da instituição, no Palacete Góes Calmon, no bairro de Nazaré.

A oradora da noite foi a etnolinguista Yeda Pessoa de Castro, sua sucessora na Cadeira de nº 11 da ALB. Em seu depoimento, a confrade enalteceu a carreira intelectual do amigo e renomado estudioso do universo literário. “Não haveria tempo para descrever aqui as inúmeras atividades que notabilizaram esse emérito acadêmico. Simpático, sereno e modesto, como compete a todos os sábios, foi como poeta que ele plantou sua plena realização: o seu papel de haicaista da literatura brasileira”, exaltou ela, ao ouvir da neta do poeta um dos trechos do livro Folhas de Chá, onde Vieira apresenta ao público a poesia Haikai.

Também presente à reunião, o filho de Oldegar Franco Vieira, o jornalista Fernando Tolentino Vieira, relembrou como a leitura ensinada pelo pai ajudou na consolidação da família. “Fomos privilegiados pelo berço que nos foi atribuído. Nascemos e crescemos em uma casa de cultura, fé e compromisso. Ler ainda adolescente autores consagrados da literatura nos atribuiu privilégios”, disse.

O acadêmico Edivaldo Boaventura, ocupante da Cadeira nº 39, disse ver na figura de Oldegar Franco Vieira um intelectual. “Era um gregário por excelência. Um aspecto nele sempre me chamou a atenção: o seu amor à cultura…Foi um dos pioneiros do Direito. Esse é um momento de evocação. Agradecemos, acima de tudo, por termos tido Oldegar por suas grandes qualidades e inquietação intelectual”, frisou.

Sobre Oldegar Franco Vieira

Formado em Direito, Oldegar Franco Vieira foi autor de várias obras literárias. Profissionalmente, aposentou-se como procurador do Estado da Bahia e professor emérito da Universidade Federal da Bahia. Foi também fundador e diretor da Escola Superior de Estatística da Bahia. Faleceu em novembro de 2006, aos 91 anos.

Anúncios