Lançamento de livros são destaques durante o curso ‘Jorge Amado 2015 – V Colóquio da Literatura Brasileira’

Durante a programação do curso ‘Jorge Amado 2015 – V Colóquio da Literatura Brasileira’, que terminou no último dia 14 agosto, após iniciativa conjunta da Academia de Letras da Bahia e da Fundação Casa de Jorge Amado, inúmeros livros sobre este que foi um dos maiores escritores do país foram lançados na sede da ALB, local que abrigou os quatro dias do workshop.

Na abertura do evento, no dia 11, o livro Jorge Amado: Literatura e Política foi apresentado à plateia. A publicação reúne depoimentos e trabalhos exibidos na edição 2014 do curso, que tem o objetivo de fomentar a troca de experiências para a promoção da literatura brasileira. A obra foi organizada pelos imortais Evelina Hoisel, Mryriam Fraga e Aleilton Fonseca.

Já no dia 12, foram lançados os livros Jorge Amado na Hora da Guerra, Cultura das Bordas: Edição, Comunicação, Leitura e Jorge Amado: presenças da Hora da Guerra em encontros acadêmicos, respectivamente de Benedito Veiga, Jerusa Pires Ferreira e Benedito Veiga.

O primeiro trabalho de Benedito Veiga é um produto final do pós-doutorado em literatura brasileira e resulta da leitura cuidadosa das colunas da Hora da Guerra, mostradas em O Imparcial, escritas por Jorge Amado. O seu segundo livro, ele se debruça nas crônicas de guerra do escritor Jorge Amado – que atuou como jornalista durante a Segunda Guerra Mundial. Já a escritora Jerusa Pires Ferreira apresenta em seu livro uma pesquisa incansável sobre a produção cultural impressa no Brasil, focando principalmente a relação “centro/periferia”.

No dia 13, o livro Uma Vista a Jorge Amado foi exposto ao público pelo escritor Nelson Cerqueira, doutor pela Indiana University. A publicação é uma contribuição relevante para o entendimento político, social e ideológico da obra de Jorge Amado.

No encerramento do curso, ocorrido na Fundação Casa de Jorge Amado, a autora Rita Olivieri-Godet e o artista plástico Juraci Dórea lançaram a obra Jorge Amado em Letras e Cores. O trabalho é uma parceria sobre o escritor baiano, em que as escritoras destacam a ficção amadiana e a sua liberdade como forma de afirmação na superação do sofrimento pela alegria de viver, bem como a crença na força da natureza que se traduz na reverência ao culto dos orixás e na mestiçagem como projeto de convivência e de civilização.

Confira a programação completa, clicando aqui.

Anúncios