Inscrições prorrogadas para o seminário “Relendo Thales de Azevedo”

image001

Inscrições prorrogadas até o dia 15 de outubro para o seminário “Relendo Thales de Azevedo”, que acontecerá entre os dias 10 e 14 de novembro na sede da Academia de Letras da Bahia e no Convento de Santa Clara do Desterro. O evento homenageará a obra deste importante intelectual baiano. Reunindo diversas instituições, entre as quais oito universidades, a iniciativa pretende discutir a obra do médico, historiador e antropólogo, em vista da atualidade dos temas por ele abordados.

Além de uma vasta programação que envolve lançamentos de livros, exposições e mesas redondas de debate, o seminário abre processo seletivo para o envio de resumos de Comunicações. Os interessados devem encaminhar o material até o dia 05 de outubro para o e-mail: relendothalesdeazevedo@gmail.com.

  • Maiores informações sobre a programação e formas de inscrição, clique aqui.
  • Confira o edital de seleção das Comunicações, clique aqui.
  • Download do cartaz do evento, clique aqui. 
  • Veja o texto do acadêmico Paulo Ormindo sobre Thales de Azevedo, publicado no jornal A Tarde na data de 27.09.2015 – clique aqui.

 Thales de Azevedo

Formado pela Faculdade de Medicina da Bahia (1922/27), Thales de Azevedo foi interno da Cadeira da Clínica Ginecológica do Prof. José Adeodato de Souza, na Enfermaria do Hospital Santa Isabel da Santa Casa de Misericórdia da Bahia. Atou como médico por mais de 40 anos, identidade profissional que foi acumulada, a partir de 1943, com a de professor universitário.

Enquanto professor universitário, além de sua passagem pela Faculdade de Medicina da Bahia, como assistente dos cursos de Farmácia e Medicina (1936/37), liderou a criação da Escola de Serviço Social da Bahia (1944), unidade pioneira da Universidade Católica do Salvador, onde colaborou como professor até 1967, tendo sido seu diretor entre 1944/54.

Entre os marcos decisivos de sua dedicação ao ensino e à pesquisa está o convite de Isaias Alves para  integrar o corpo docente da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, criada em 1941, hoje Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia (UFBA), onde ensinou entre 1943/69. Devido à sua formação em medicina, Thales de Azevedo foi encarregado da 1ª Cadeira de Antropologia e Etnografia do Brasil da Faculdade de Filosofia, cuja matéria integrava-se aos currículos de Geografia e História e de Ciências Sociais. Nela, ele deveria cobrir temas de antropologia física ou biológica, mas enviesaria progressivamente para assuntos de antropologia social.

A partir de 1949, trabalhando com Anísio Teixeira, então Secretário de Educação e Saúde do Estado, Thales de Azevedo foi encarregado de dar apoio ao Programa de Pesquisas Sociais do Estado da Bahia – Columbia University (1950/53), do qual logo em seguida tornou-se coordenador, acompanhando seus desdobramentos em vários estágios posteriores de treinamento e orientação de estudantes americanos em estágio na Bahia, ainda por mais de duas décadas.

Como um dos fundadores e membro do Conselho Diretor da Fundação para o Desenvolvimento da Ciência na Bahia (1950/68), Thales de Azevedo teve um papel decisivo no apoio a projetos de pesquisa e na concessão de bolsas de estudo a pesquisadores. Em 1955/1956, voltou ao ensino em medicina, tornando-se Professor Conferencista da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Em seguida, quando primeiro dos Pró-reitores da Universidade Federal da Bahia, na qualidade de diretor do Departamento Cultural (1960/62), abriu a discussão entre o corpo docente sobre a reforma universitária, retomada quando diretor da Faculdade de Filosofia em 1964/68.

Fonte: Universidade Federal da Bahia – Ufba

image001

Anúncios