Jorge Medauar é lembrado em sessão da ALB

O ex-presidente e membro benfeitor da Academia de Letras da Bahia, Aramis Ribeiro Costa, falou sobre o escritor e poeta baiano Jorge Emílio Medauar, em uma palestra intitulada Viventes Revividos. O encontro, ocorrido no dia 10 de setembro, contou com a presença de acadêmicos da casa de cultura do Estado.

Na oportunidade, Aramis Ribeiro Costa, ocupante da Cadeira nº 13, enalteceu a trajetória literária deste que foi autor de obras como a Chuva sobre a tua Semente, Prelúdios, Noturnos e Temas de Amor, Às Estrelas e aos Bichos, Água Preta, Histórias de Menino, entre outros. “Jorge Medauar é um contador de casos. Como escritor, jamais abandonou o cenário baiano de sua infância, a linguagem, os costumes e os valores da sua pequena cidade de Água Preta do Mocambo – hoje Uruçuca –, buscando a seiva poderosa da sua criação literária. É um dos grandes contistas da Bahia e do Brasil”, lembrou.

Sobre o escritor

Jorge Emílio Medauar, um filho de sírio-libaneses, nasceu no dia 15 de abril de 1918 numa cidade do sul da Bahia chamada Água Preta do Mocambo, mais tarde rebatizada de Uruçuca.

Após estudos na sua terra natal e em Salvador, transferiu-se primeiro para o Rio de Janeiro e depois para São Paulo, onde se tornou jornalista e publicitário. Na capital do café, fundou, foi diretor e professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing, dirigiu o Sindicato dos Escritores do Estado de São Paulo e participou do Conselho Estadual de Cultura daquele estado, mantendo, em paralelo a tudo isso, uma ininterrupta atividade intelectual dedicada a literatura. Morreu no dia 3 de julho de 2003, em São Paulo, aos 85 anos.

Anúncios