Seminário eterniza obra de Thales de Azevedo

A obra do intelectual baiano Thales de Azevedo foi eternizada pela Academia de Letras da Bahia durante a cerimônia de abertura do seminário Relendo Thales de Azevedo, que iniciou, ontem (11.11), a sua intensa programação na sede da casa de cultura do Estado, no bairro de Nazaré.

Até sexta-feira (13.11), uma série de atividades homenageará este que foi um dos maiores pensadores do país, reunindo especialistas de oito universidades brasileiras, além de estudiosos da França e dos Estados Unidos. Na oportunidade, os teóricos debaterão a produção de Thales de Azevedo no campo da antropologia, história, saúde, arte e literatura. As atividades acontecem pela parte da manhã no Convento de Santa Clara do Desterro e no turno da tarde na ALB. “Thales de Azevedo acrescentou muito ao nosso patrimônio comum do conhecimento. Os seus livros acompanharam as etapas das motivações criadoras. Neste evento, o encontraremos mais uma vez”, declarou Edivaldo M. Boaventura, membro benfeitor da ALB.

Em consonância com a sua fala, o antropólogo e acadêmico Ordep Serra, coordenador do evento, disse que a lucidez, inteligência e coragem de Thales de Azevedo motivaram a criação do seminário. “A ele se deve a existência das ciências sociais na Bahia. A única maneira de lhe homenagearmos é retomando os temas que foram abordados durante toda a sua vida como educador”, lembrou.

Já o filho de Thales de Azevedo, o também imortal Paulo Ormindo, recordou a atuação profissional do pai frente à cultura baiana. “A ambição desse seminário é desvendar as complexas conexões da qualidade do seu trabalho, que atravessa não só o campo da antropologia e história, duas das suas principais atividades, mas também a medicina, o jornalismo, a prosa, poesia e pintura”, revelou.

Segundo a Academia de Letras da Bahia, a intenção é integrar o seminário no calendário da ALB. “O programa Pensadores baianos será uma série que a Academia pretende incluir no seu cronograma de atividades anuais, repensando, assim, a produção de outros importantes intelectuais da Bahia”, explicou a presidente da instituição, Evelina Hoisel. O ex-reitor e médico Edgar Santos (1894 – 1962) será o próximo homenageado do seminário.

Programação

No primeiro dia de debates, os assuntos em destaque foram os trabalhos de Thales de Azevedo desenvolvidos em prol do jornalismo, da história e relações raciais, além do seu papel no Convênio de Pesquisa Social no Estado da Bahia. Na terça-feira (10.11), no Museu de Arte da Bahia, aconteceu também a inauguração da exposição Presença de Thales e o lançamento dos livros Thales de Azevedo e a arte de escrever e pintar, de Paulo Ormindo de Azevedo, e Uma pesquisa sobre a vida social no Estado da Bahia, de Jaci Maria Ferraz de Menezes. O público presente pôde ainda conferir a exibição do documentário Seresta.

Confira a programação completa do seminário Relendo Thales de Azevedo, clique aqui.

Anúncios