Academia de Letras da Bahia abre inscrições para Prêmio Literário

Os interessados devem encaminhar os originais, no gênero Conto, à sede da ALB, a partir do dia 25 de fevereiro para concorrer ao prêmio de R$ 15 mil e à publicação do livro.

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Nacional Academia de Letras da Bahia – Conto 2016. O concurso literário, que há mais de três décadas tem revelado talentos da literatura brasileira, é um dos concursos literários de maior prestígio no Brasil.

Inscrições – Os interessados em participar do Prêmio Nacional Academia de Letras da Bahia – Conto 2016, devem enviar três cópias do trabalho – que deverá ser inédito, do gênero Conto, tema livre – à sede da Academia de Letras da Bahia (ALB), pessoalmente ou postadas pelo Correio com aviso de recebimento (AR), até o dia 15 de abril de 2016. Os trabalhos recebidos serão avaliados pela comissão julgadora de notória e reconhecida vinculação com a área do Prêmio, nomeada pela Presidente da instituição. O resultado será divulgado até o dia 5 de maio de 2016 e o vencedor será premiado com R$ 15.000,00 (quinze mil reais) e a publicação do livro por uma editora nacional. O Regulamento do Concurso pode ser consultado no site da Academia de Letras da Bahia, https://academiadeletrasdabahia.org.br

O Prêmio Nacional Academia de Letras da Bahia – Conto 2016, conta este ano com o patrocínio da Fundação Gregório de Mattos, da Prefeitura Municipal da Cidade do Salvador, através do Edital “Arte em Toda Parte, 2015”. A primeira edição ocorreu no ano de 1983 e desde lá tem proporcionado visibilidade às obras dos autores premiados como Clarissa Macedo (Na pata do cavalo há sete abismos), Evaldo Balbino (Amores oblíquos), Roberval Pereyr (Mirantes), Ordep Serra (Ronda: oratório malungo), Rodrigo Petrônio Ribeiro (Venho de um país selvagem), Otto Leopoldo Winck (Jaboc) e Jorge de Souza Araújo (Floração de imaginários: o romance baiano no século XX), dentre outros.

Consulte o regulamento do concurso clicando aqui.
Baixe o folder de divulgação.

image

Anúncios

João Carlos Teixeira Gomes lança livro sobre trajetória profissional

JOCA Lançamento do livro e comemoração dos 80 anos de nascimento

O jornalista e escritor João Carlos Teixeira Gomes, ocupante da Cadeira número 15 de Academia de Letras da Bahia, lançará no dia nove de março (quarta-feira), na livraria Cultura do Salvador Shopping, às 16:30 horas, o seu novo livro, A Brava Travessia, memórias, viagens e artigos do Pena de Aço. Na ocasião, Joca, como é conhecido pelos amigos, estará celebrando os seus oitenta anos de vida.

No livro, o autor conta como enfrentou e venceu perseguições, vinganças, retaliações políticas e tribunais militares, mas fala também do seu amor pela música, pela pintura e pelas artes em geral, além da fatos pessoais da sua vida como professor universitário e episódios marcante vividos dentro de uma redação de jornal.

A Brava Travessia, que tem prefácio de Sebastião Nery e análise do escritor Edmílson Caminha, da Academia Brasiliense de Letras, se divide em três partes, pela junção das quais o autor cobre uma substancial parcela da sua trajetória profissional. O novo livro do escritor baiano é enriquecido pela publicação de fotos abundantes e possui cerca de 470 páginas, sendo editado pela Caramurê Publicações, de Fernando Oberlandaer.

Sobre o autor

Jornalista profissional desde 1958, quando participou do lançamento do matutino “Jornal da Bahia”, em Salvador, João Carlos Teixeira Gomes é um dos integrantes da “Geração Mapa”, criada no Colégio Central em 1954 e integrada por nomes como os de Glauber Rocha, João Ubaldo Ribeiro, Fernando da Rocha Peres, Fernando Rocha, Ângelo Roberto, Carlos Anísio Melhor, Jaime Cardoso, Silva Dultra, Sônia Coutinho, Lina Gadelha e Paulo Gil Soares. O grupo dedicou-se a várias atividades literárias e artísticas na Bahia, despontando Glauber Rocha como o criador do Cinema Nova e importante diretor do cinema internacional, com filmes como “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, “O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro”, “A Idade da Terra” e “Terra em Transe”.

João Carlos Teixeira Gomes, que ganhou no Rio o apelido de “Pena de Aço” por sua luta jornalística pela ética na política e pela liberdade de imprensa, é autor de obras como romance, contos, poesias, artigos, biografias, ensaios e relatos de viagens. Entre seus livros mais conhecidos estão Glauber Rocha, esse vulcão, A Tempestade Engarrafada, O Telefone dos Mortos, O Labirinto de Orfeu, Gregório de Matos, o Boca de Brasa, Memórias das Trevas e Assassinos da Liberdade.

ALB apoia inauguração do primeiro acervo de livros brasileiros na Itália

Primo Fondo Libri Brasiliani a Massafra Foto locandina

Através do patrocínio da Academia de Letras da Bahia (ALB), a cidade de Massafra, na Itália, será sede, a partir do dia 19 de fevereiro, da primeira biblioteca com acervo de livros brasileiros em língua original. Intitulada biblioteca Comunale “P.Catucci”, o objetivo da iniciativa, segundo a instituição baiana, é aproximar culturalmente os dois países.

O material se compõe de obras de literatura clássica e contemporânea, traduções, livros infantis, em idioma português ou bilíngue, sendo inicialmente composto por obras de autores, na maioria baianos, como Jorge Amado, Antônio Torres, Myriam Fraga, Edivaldo Boaventura, Aleilton Fonseca, Florisvaldo Mattos, Carlos Ribeiro, Evelina Hoisel, Luiz Antonio Cajazeira Ramos, Glaucia Lemos, Fernando da Rocha Peres, entre outros.

Localizado dentro do castelo medieval da cidade, o projeto, idealizado pelo vereador italiano Giovanni Ventura, terá ainda o apoio da administração municipal, que considerou Massafra como ponto de referência de diálogo intercultural no sul da Itália. A inauguração do acervo coincide com o ano do centenário do nascimento de uma escritora ítalo-brasileira, Zélia Gattai, filha e neta de imigrantes italianos.

Na solenidade de abertura, a ALB será representada pelo membro correspondente da entidade na Itália e responsável pela organização deste primeiro conjunto de livros, Antonella Rita Roscilli, brasilianista, pesquisadora e escritora italiana. Participam também da cerimônia o prefeito de Massafra, Martino Carmelo Tamburrano; o secretario de Cultura Antonio Cerbino; o presidente da Associação Italiana Biblioteche-Puglie Waldemaro Morgese; e o conselheiro municipal Giovanni Ventura, responsável pela biblioteca. Maiores informações através do endereço eletrônico (em italiano).

ALB decreta luto de três dias pelo falecimento da escritora Myriam Fraga

A Academia de Letras da Bahia decretou três dias de luto pelo falecimento, aos 78 anos, da escritora e poeta baiana Myriam Fraga (1937-2016), ocupante da Cadeira nº 13, ocorrido na tarde desta segunda-feira, 15 de fevereiro, no Hospital Aliança. Myriam Fraga vinha enfrentando problemas de saúde desde meados de 2015. Ela exercia a vice-presidência da ALB, assim como a direção da Fundação Casa de Jorge Amado. A cerimônia de cremação acontecerá nesta terça-feira (16.02), no Cemitério Jardim da Saudade, às 11:30 horas.

Em agosto de 2015, Myriam Fraga comemorou os 30 anos da sua posse na Academia de Letras da Bahia, sendo saudada pelos imortais da ALB. Nascida em Salvador, no dia 9 de novembro de 1937, filha de Orlando de Castro Lima e Beatriz Pondé de Castro Lima, tem diversos livros publicados, entre poesia e prosa. Iniciou suas atividades literárias publicando assiduamente em revistas e suplementos literários. Seu livro de estreia foi Marinhas, no ano de 1964.

É citada em várias publicações nacionais e estrangeiras, entre elas: Pequeno Dicionário de Literatura Brasileira, de José Paulo Paes e Massaud Moisés (1968); Grande Enciclopédia Delta Larousse (1972); Enciclopédia de Literatura Brasileira, de Afrânio Coutinho (1990); História da Literatura Brasileira, de Luciana Stegagno Picchio (1997); Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras: 1711-2001, por Nelly Novaes Coelho (2002).

No final de 2015, lançou o seu último trabalho intitulado Rainha Vashti, que narra a história de uma monarca da Pérsia. Na ocasião, Myriam foi também premiada pela Academia de Letras da Bahia e a Eletrogoes com o Prêmio pelo Conjunto de Obra, reverência à obra literária da escritora e de sua atuação intelectual no cenário contemporâneo do país.

Além de Rainha Vashti, Myriam Fraga publicou vários livros, dentre os quais Sesmaria, O risco na Pele e Femina (Poesia), Leonídia, a musa infeliz do poeta Castro Alves (Biografia), Castro Alves, Jorge Amado e Luiz Gama (Biografias infanto-juvenis), além de Memórias de alegria. Myriam Fraga deixa quatro filhos.

Antônio Torres lança reedição de livro em Portugal

image001

O escritor baiano e imortal da Academia de Letras da Bahia (ALB) Antônio Torres estará na capital portuguesa, Lisboa, no dia 29 de fevereiro, para o lançamento da reedição do livro Essa Terra, lançado por ele em 1976. A obra, que é um relato quase que autobiográfico, revela de maneira emocionante o impacto da cidade grande sobre o retirante, o imigrante nordestino. A cerimônia acontecerá na livraria Barata, localizada Av. de Roma, Nº11A, às 18:30 horas.

Sobre o autor

Antônio Torres é autor de clássicos da literatura brasileira, a exemplo dos romances Um táxi para Viena d´Áustria e Meu Querido Canibal. Nascido em 1940 no povoado do Junco (hoje Sátiro Dias), no sertão da Bahia, ele escreveu dezenas de títulos, entre romances, contos, crônicas, perfis e memórias. Seus livros já ganharam edições em vários países, como na França, Espanha, Alemanha, Itália, Holanda, Inglaterra, Argentina, Cuba, Israel e Estados Unidos, além de ter sido laureado nos mais importantes prêmios nacionais (Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto da obra; Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura; Prêmio Jabuti de 2007; entre outros).