Renomado africanista será empossado como membro correspondente da ALB

Posse Paulo Fernando de Moraes Farias  05.05.2016Um dos mais renomados africanistas da atualidade, nascido na Bahia e radicado na Inglaterra, o escritor Paulo Fernando de Moraes Farias será empossado como membro correspondente na Academia de Letras da Bahia, no próximo dia 05 de maio (quinta-feira). A solenidade acontecerá na sede da entidade, no Palacete Góes Calmon, no bairro de Nazaré, às 18 horas. Na oportunidade, o especialista em temas da chamada Idade Média saeliana será saudado pelo acadêmico João Eurico Matta.

Sobre o escritor

Paulo Fernando de Moraes Farias formou-se em medicina e em história. Viveu vários anos na África do oeste, região na qual continua a trabalhar como pesquisador. Atualmente é professor do Centre of West African Studies da Universidade de Birmingham (senior lecturer). Trabalhou no Centro de Estudos Afro-Orientais da Universidade Federal da Bahia e no Instituto Fundamental da África Negra da Universidade de Dakar (hoje Universidade Cheikh Anta Diop), Senegal. Ensinou história da África na Universidade Ahmadou Bello, Nigéria.

Orientou também diversas teses sobre história da África do oeste e sobre relações entre África e América Latina. Estudioso das interfaces entre islã e outras tradições africanas na região do Borgu e Iorubá (Nigéria e República do Benin), é especialista em epigrafia árabe medieval no Mali, realizando igualmente importantes estudos sobre história do oeste do Saara (Mauritânia) e sobre tradições Mande, Songhay e Tamasheq (Mali). Publicou pela Oxford University Press uma obra de fundamental importância para os estudos medievais, para os estudos sobre o islã e sobre historiografia da África do oeste: Arabic Medieval Inscriptions from the Republic of Mali: Epigraphy, Chronicles and Songhay-Tuareg History.

Anúncios

Sessão homenageia Gaspar Sadoc

outdoor - 9m x 3m impressao2-01

No dia 12 de maio (quinta-feira), às 17 horas, a Academia de Letras da Bahia (ALB) realizará uma sessão em comemoração ao centenário do acadêmico Monsenhor Gaspar Sadoc da Natividade. O sacerdote, que ocupa a Cadeira n” 10 da entidade, completou 100 anos no dia 20 de março. Na ocasião, o imortal Edivaldo M. Boaventura preferirá a homenagem.

Em seguida, às 18:30 horas, haverá o lançamento do livro biográfico 100 anos de Padre Sadoc, da autora Cristina Ramos. A obra relembra as grandes ações socioeducativas, religiosas e culturais desenvolvidas por Sadoc na Igreja da Vitória.

Nova edição da Revista da ALB

A Academia de Letras da Bahia lançou, na última quinta-feira (14.04), a nova Revista ALB, que chega a sua 54• edição em versão impressa e digital. A publicação reúne uma rica produção de artigos, ensaios, poemas, contos, crônicas e discursos produzidos por acadêmicos e autores convidados ao longo de 2015.

Em sua fala, a presidente da Academia, Evelina Hoisel, qualificou o conteúdo como “um instrumento que cumpre não só o papel de preservar e difundir a memória da entidade, mas, sobretudo, a memória literária e cultural do País”, destacou.

Edvaldo Boaventura, que, na ocasião, veio representando o Reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), lembrou que a Revista é uma espécie de “house organ” da instituição. “Ou seja, ela trata dos acontecimentos da casa”, avaliou.

Já o membro benfeitor da Academia de Letras da Bahia, Aramis Ribeiro Costa, disse se tratar de uma obra que não segue os padrões e métodos exigidos pelas revistas científicas ou universitárias, “garantindo a ela identidade própria e ao leitor uma agradável leitura”.

Por fim, Zulu Araújo, diretor da Fundação Pedro Calmon, órgão ligado ao Governo do Estado – Secretaria da Cultura, parabenizou a Academia de Letras da Bahia pela sua representatividade diante do cenário cultural baiano. “A cultura precisa ganhar um lugar mais elevado na nossa sociedade, fazendo com que o Brasil tenha um pouco mais de leveza e diálogo, especialmente no atual cenário em que vivemos”, completou.

A publicação é resultado de um laborioso e competente trabalho do Diretor da Revista, o acadêmico Fernando da Rocha Peres, tendo o conselho editorial formado pelos acadêmicos Aleilton Fonseca, Aramis Ribeiro Costa e Florisvaldo Mattos.

Confira a Revista n• 54, clique aqui.

Missa de 30 dias da morte do poeta Clóvis Lima

IMG_1538

A missa de trigésimo dia de falecimento do poeta e imortal da Academia de Letras da Bahia, Clóvis Lima, será celebrada no dia 21 de abril (quinta-feira), às 9 horas, na Igreja da Vitória. O literário morreu aos 102 anos. Há dois anos foi homenageado pela ALB pelo seu centenário de nascimento, tornando-se o primeiro membro da instituição a chegar com vida aos cem anos de idade.

Nascido na cidade de Vitória da Conquista, interior da Bahia, sua produção poética encontra-se, em grande parte, publicada nos diversos números da Revista da Academia de Letras da Bahia, entidade que integrava desde 1980, ocupando a Cadeira nº 22. Autor de Poesia Avulsa, participou da Ala das Letras e das Artes de Conquista, uma seção regional da famosa Ala das Letras e das Artes existente em Salvador, fundada por Carlos Chiacchio, renomado ensaísta, poeta, crítico de arte, professor e jornalista brasileiro.

Ruy Espinheira Filho publica dois novos livros

convite.duplo-ruy[1]

O escritor e imortal Ruy Espinheira Filho lançará, no dia 14 de abril, em São Paulo, o seu mais novo romance O príncipe das nuvens, da editora Descaminhos. Na ocasião, o acadêmico também apresentará ao público o livro de poemas Milênios, da Patuá Editora. O início será às 19 horas.

O príncipe das nuvens traz uma intensa e dramática história de amor vivida e “psicografada” por um personagem já falecido, o fictício poeta C. A. Maior — inspirado, com todas as liberdades que um romancista pode tomar, no poeta baiano Carlos Anísio Melhor (1935-1991), figura lendária na cena cultural e na boêmia baiana da segunda metade do século 20.

  • Conheça quatro poemas do livro Milênios, de Ruy Espinheira Filho, clicando aqui.

Academia de Letras da Bahia lança publicação com artigos, ensaios, poemas, contos e crônicas

No próximo dia 14 de abril, a Academia de Letras da Bahia (ALB) estará lançando, na sede da instituição, no Palacete Góes Calmon, a edição nº 54 da Revista da Academia, edição impressa e digital, que reúne artigos, ensaios, poemas, contos, crônicas e discursos de acadêmicos e autores convidados. O evento terá início às 18 horas, com entrada franca.

Mantendo uma tradição de mais de 50 anos, a Revista da Academia de Letras da Bahia é um veículo anual de literatura, artes e ideias, para a publicação de artigos, ensaios, poemas, contos e discursos dos acadêmicos, além da colaboração de outros poetas e escritores da Bahia, dos demais estados brasileiros e do exterior.

Nessa edição, a publicação traz textos de Edivaldo M. Boaventura, Florisvaldo Mattos, Gláucia Lemos, Roberto Figueira Santos, Urania Tourinho Peres, Waldir Freitas Oliveira, Antonella Rita Roscilli, Ordep Serra, Cyro de Mattos, Aramis Ribeiro Costa, Evelina Hoisel, Yeda Pessoa de Castro, Samuel Celestino, Roberto Santos, Carlos Ribeiro, Paulo Furtado, Antônio Torres, Aleilton Fonseca, Gerana Damulaks e da poeta Myriam Fraga, que faleceu no último mês de fevereiro. Em breve, todo o conteúdo estará disponível para download em http://www.academiadeletrasdabahia.wordpress.com/revistas/.

Nova imortal da Academia de Letras da Bahia tomará posse no próximo dia 28

A professora Emérita da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Suzana Alice Marcelino da Silva Cardoso, toma posse no próximo dia 28 de abril (quinta-feira), às 20 horas, na Academia de Letras da Bahia. A nova imortal passará a ocupar a cadeira número 28, anteriormente ocupada pela historiadora Consuelo Pondé de Sena, falecida em maio de 2015. A solenidade acontecerá na sede da ALB, no Palacete Góes Calmon, no bairro de Nazaré.

Na ocasião, Suzana Alice será saudada pela presidente da Academia de Letras da Bahia, Evelina Hoisel. A nova acadêmica construiu a sua carreira profissional no universo das Letras, atuando principalmente na área da dialectologia, geolinguística, português do Brasil, língua portuguesa e variação linguística.

Sobre a acadêmica

Possui graduação em Letras Neolatinas pela Universidade Federal da Bahia (1960), mestrado em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia (1979) e doutorado em Letras (Letras Vernáculas) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002). Professor Associado da Universidade Federal da Bahia. Professeur Invité na Université Paris 13, UFR LSHS. Professora Emérita da Universidade Federal da Bahia. Membro Associado do LDI-Lexiques, Dictionnaires, Informatique da Université Paris 13. Editora da revista Estudos Lingüísticos e Literários (2004-2012) e membro do Conselho Editorial das revistas A Cor das Letras, Filologia e Lingüística Portuguesa, RESLANG-Révue Électronique des Sciences du Langage, INGÁ REVISTA DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS E LITERÁRIOS. Coordenadora do GT de Sociolinguística da ANPOLL (1992-1994). Presidente da Associação Brasileira de Linguística – ABRALIN (1993-1995). É também Diretora-Presidente do Projeto Atlas Linguístico do Brasil.