Fernando da Rocha Peres apresenta ‘Uma viagem cultural’

‘Uma viagem cultural’. Esse foi o tema escolhido pelo imortal Fernando da Rocha Peres ao apresentar para os membros da Academia de Letras da Bahia, nesta quinta-feira (02.06), as suas experiências como “viajante” à países da Europa, América do Norte e América do Sul.
“Não me considero um viajante contumaz, mas sim um viajante episódico. As viagens fazem em nossas vidas um painel importante para a educação e enriquecimento cultural”, destacou ele, que ressaltou a importância da mulher Urânia Peres, também acadêmica, nessas excursões. “É minha navegante, minha guia”, acrescentou.

A sessão ordinária integrou o calendário acadêmico da instituição literária, que em 2017 completará 100 anos de existência.

Anúncios

Cyro de Mattos profere palestra na Academia Brasileira de Letras

emailmkt4ciclo

O escritor e poeta Cyro de Mattos estará proferindo, no dia 7 de junho (terça-feira), palestra na Academia Brasileira de Letras sobre o romance Luanda Beira Bahia, de Adonias Filho. Na oportunidade, o literário irá mostrar como um autor verdadeiro, dotado de imaginação fecunda, pode construir uma obra literária com valores míticos que impõem soluções exasperadas, movidas pelas forças da vida e da morte.

Entre a paisagem do mar, que exerce uma atração fascinante nas criaturas,e os mares interiores, fundos, profundos, com suas águas inquietas da paixão, um dos grandes romancistas brasileiro, Adonias Filho reveste suas criações com a marca do trágico na aventura da vida, quase sempre dominada pelas ciladas do destino. Luanda Beira Bahia (1971) é o romance que une o Brasil e a África, tendo como seus personagens gente de Salvador e Ilhéus, e dos longes de Moçambique e Angola.

Neste romance marítimo com ressonâncias telúricas, Adonias Filho conta a trágica história de amor entre Caúla, o marinheiro, nascido em Ilhéus, e a angolana Iuta, moradora do cais de Luanda. Os dois irmãos que se unem sem que conheçam o parentesco entre eles. O desfecho trágico desse amor tem como testemunha a árvore jindiba, de pé e sem voz, ponto de referência de Caúla no mundo, a ocupar um lugar de relevo na trama. O mar neste romance pode ser visto também como ponte para o conhecimento de Brasil e de África no século XX. O início da sessão será às 17:30 horas, no auditório Raimundo Magalhães Júnior, Rio de Janeiro.

Sessão da Saudade homenageia obra de Myriam Fraga

Sessão Saudade Myriam Fraga_09_06_2016

A poeta e imortal da Academia de Letras da Bahia, Myriam Fraga, que faleceu em fevereiro deste ano, será homenageada, no próximo dia 09 de junho (quinta-feira), pela instituição literária com uma “sessão da saudade”.

Durante a cerimônia, a saudação de homenagem será proferida pelo acadêmico benfeitor Aramis Ribeiro Costa, que relembrará a carreira profissional dessa que foi uma das maiores fomentadoras da cultura do nosso Estado. O acadêmico Fernando da Rocha Peres fará ainda uma leitura de poemas escritos por Myriam Fraga ao longo da sua trajetória intelectual.

O início será às 18 horas, na sede da ALB, em Nazaré. O evento é aberto ao público.

Zélia Gattai é homenageada em Roma

A escritora Zélia Gattai, falecida em 2008, e que em 2016 completaria 100 anos de vida, foi homenageada pelo Centro Cultural da Embaixada do Brasil em Roma, na Itália. Durante a conferência, que aconteceu no último dia 30, no auditório da embaixada na capital italiana, analisou-se a vida e obra da escritora ítalo-brasileira, marcada por escrever memórias de sua vida, como o seu livro de estréia, Anarquistas, graças a Deus, adaptado para uma minissérie pela Rede Globo, e Um chapéu para viagem, transcrito para o teatro.

Na ocasião, houve o lançamento da obra Memoriale Dell’Amore, também de autoria de Zélia Gattai, e pela primeira vez em versão italiana. A literária teve alguns de seus livros traduzidos para o francês, espanhol, alemão e russo.

Participaram da cerimônia a diretora do Centro Cultural Brasil-Itália, Daniela Dornelas Cavalcanti; Luiz Felipe Czarnobai, da Adido Cultural da Embaixada do Brasil na Itália; Antonella Rita Roscilli, brasilianista, tradutora, escritora e biografa de Zélia Gattai; Germano Panettieri, Diretor da Editora Nova Delphi; Giorgio De Marchis, professor de língua e literatura brasileira na Università Roma Tre; além da presença de Ricardo Neiva Tavares, embaixador do Brasil na Itália; Fabio Porta, deputado italiano; e Antonio Bernardini, embaixador da Itália no Brasil.