Estudioso do Brasil Colônia toma posse como membro correspondente

O período colonial da história do Brasil, em especial vivida pelos baianos, foi recapitulado pelo professor de Literatura Brasileira da Universidade Federal Fluminense (UFF), Paulo Roberto Pereira, que tomou posse, no dia 4 de outubro, como membro correspondente da Academia de Letras da Bahia.

Saudado pelo imortal Edivaldo M. Boaventura, o docente é responsável por estudos sobre a interface cultural do Brasil, tendo lançado, entre as suas publicações de maior destaque, uma obra completa sobre o escritor Euclides da Cunha.
“Minha afinidade, aproximação e carinho com a Bahia confundem-se com a trajetória intelectual que escolhi de dedicar-me ao estudo do Brasil colonial. É impossível conhecer os séculos inicias da formação da nacionalidade brasileira sem passar pela Bahia”, disse o intelectual.

O novo acadêmico recordou que os seus estudos envolveram ainda os primeiros núcleos de povoamento da Bahia, bem como a fundação da cidade do Salvador, por Thomé de Souza, tendo como referências bibliográficas importantes historiadores baianos, a exemplo de Pedro Calmon e Luiz Henrique Dias Tavares. “Um dos aspectos levantados nas minhas pesquisas sobre a Bahia quinhentista é que compreendi o papel da religião sobre o cotidiano do povo baiano”, afirmou.

O título de membro correspondente é concedido a quem tem uma posição de destaque em alguma área do conhecimento, sendo obrigatório a não residente na cidade onde se localiza a Academia de Letras.

  • Currículo completo do acadêmico Paulo Roberto Pereira, clique aqui. 
Anúncios