Heleusa Figueira Câmara é o novo membro correspondente da ALB

A escritora conquistense Heleusa Figueira Câmara tomou posse, no último dia 12, como membro correspondente da Academia de Letras da Bahia. Professora titular da Universidade Estadual do Sudoeste (Uesb), a autora de consagrados livros como Mulheres acorrentadas, Quarenta Graus de Outono foi homenageada na ocasião pelo imortal Aleilton Fonseca, responsável por sua saudação na instituição literária.

“Possui uma produção profícua e um engajamento continuo em ações culturais que abrangem toda a região do sudoeste da Bahia. É um pessoa muito querida, muito apreciada, pelo trato afável, pela amizade, pela simplicidade, pelo interesse permanente em contribuir e ajudar as pessoas a avançarem na educação, na formação de leitores, no reconhecimento dos autores, educadores e contadores de historias, além da conscientização da importância dos acervos”, destacou Fonseca.

Em outro momento da sua fala, Aleilton se referiu a ela como “patrimônio da inteligência baiana”. “Sua obra é esse conjunto de textos, livros, mas também de ações, de atitudes e de exemplos no exercício administrativo, na docência, na orientação de jovens professores, estudantes, iniciação científica e pesquisadores. Sem dúvidas, a sua contribuição literária e cultural engrandece a Academia de Letras da Bahia”, disse.

A nova imortal agradeceu o tributo relembrando um pouco sobre a sua aproximação com a escrita e leitura. “Todos nós temos uma história literária para contar. Todos nós somos guardiões das memórias do mundo, e devemos aprender a compartilhá-las”, contou ela, que é natural da cidade baiana de Vitória da Conquista.

No seu livro Além dos Muros e das Grades: discursos prisionais, a autora realizou entrevistas com detentos, durante três anos, em sessões de orientação redacional como estratégia para abrir novos caminhos de reconstrução de vida por meio da leitura e escrita. “Estou tocada por sua trajetória. Por sua visão de um mundo melhor e onde pessoas não saibam apenas se expressar, mas que saibam principalmente refletir sobre sua condição”, exprimiu Evelina Hoisel, presidente da ALB.

Amigo de longa data, Edivaldo M. Boaventura afirmou que a entrada de Heleusa Figueira Câmara à Academia não se dá gratuitamente. “Você preenche todas as qualidades que um acadêmico deve possuir. Personalidade forte, convivialidade e uma extensa obra”, pontuou.

Anúncios