Centenário da ALB é destaque durante abertura do ano acadêmico

A Academia de Letras da Bahia iniciou na última quinta-feira (09.03), no Palacete Góes Calmon, o seu ano acadêmico. Em 2017, os trabalhos terão um sabor especial. Isso porque, a agremiação celebrará o seu centenário com diversas atividades envolvendo cultura e literatura baiana, atributos preservados ao longo do século pela instituição.

No dia 10 de abril, está prevista uma solenidade para comemorar a fundação da ALB, ocorrida em 07 de março de 1917 por Arlindo Fragoso, engenheiro baiano e um dos idealizadores da Escola Politécnica da Bahia. Durante a sessão, serão anunciados os seminários e publicações, dentre elas o lançamento de um livro sobre a história da ALB, previstos para acontecer ao longo do ano como parte das comemorações do centenário.

A presidente da Academia, Evelina Hoisel, revelou que as festividades acontecerão mesmo diante de um contexto político-econômico pouco propício. “Realizaremos a nossa festa, talvez com sobriedade, mas efetivamente comemorando, isto é, atualizando na memória a longa história desta instituição. Precisamos continuar contando com o apoio e entusiasmo dos confrades e confreiras”, disse.

Recondução

Durante a abertura do ano, a diretoria da Academia de Letras da Bahia foi reempossada para o biênio 2017-2019. Evelina Hoisel foi reconduzida para a presidência da Casa. Em 2015, ela se tornou a primeira mulher a presidir a entidade desde a sua fundação.
A acadêmica recordou todas as atividades desenvolvidas nos dois primeiros anos de gestão e parabenizou a pintura recentemente realizada na área externa da instituição literária, após parceria do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea/BA), do Instituto Politécnico da Bahia e da Prefeitura Municipal de Salvador, através da Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman). “Principalmente por se tratar de um prédio antigo, ainda não foi possível realizar tudo que é necessário, apenas iniciamos. Buscaremos parcerias para dar continuidade à sua revitalização”, destacou Hoisel.

Lançamento

Lá se vão 87 anos. Esta é a marca alcançada pela Revista da Academia de Letras da Bahia, que, na noite da última quinta-feira (9), teve o número 55 lançado pela entidade. A primeira publicação está datada no ano de 1930. “Muito trabalho, muita tensão, mas, sobretudo, muita alegria”, definiu o diretor da publicação e imortal Fernando da Rocha Peres. “Hoje, sem dúvida, este é o periódico mais importante da Bahia”, avaliou.
A obra reúne artigos, ensaios, poemas, contos, crônicas e discursos de acadêmicos e autores convidados. A versão digital encontra-se para download gratuito no site da ALB. Já a versão impressa pode ser adquirida na sede da Academia, no Palacete Góes Calmon, em Nazaré.

 

Anúncios