Edilene Matos assume Cadeira nº 13 da Academia de Letras da Bahia

A Cadeira número 13 da Academia de Letra da Bahia já tem uma nova ocupante. Trata-se de Edilene Dias Matos, professora do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos da Universidade Federal da Bahia (IHAC/Ufba). A mais nova acadêmica foi empossada na última quinta-feira (30.03) em uma cerimônia que reuniu amigos, familiares e autoridades do cenário cultural baiano. A vacância da Cadeira se dava desde a morte da poeta baiana Myriam Fraga, falecida em fevereiro do ano passado.

Matos tem a sua trajetória como profissional ligada às letras e, de modo geral, à cultura de sua terra, incluindo um olhar especial para a temática das poéticas da voz e das culturas populares, a exemplo da literatura de cordel. “É importante falar da alegria e entusiasmo de Edilene Matos; da sua facilidade em fazer vínculos, o que a torna uma pessoa amável, comunicativa, inquieta, com um sorriso constante, sempre querida por todos. Um pessoa com um interesse em poesia e literatura que advém de uma relação muito forte do poeta com o povo”, disse Fernando da Rocha Peres, imortal da ALB. Peres foi professor de Edilene Matos na antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Ufba. Eles trabalharam juntos também na Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

A nova confrade agradeceu o título dizendo que “a sua chegada à Academia vai ao encontro do seu interesse de conhecer, analisar e divulgar manifestações da cultura e da literatura brasileira, tornando- se uma aliança com o seu amplo projeto de vida de ordem pedagógica e de viés transdisciplinar, que visa uma espécie de articulação entre os saberes”, afirmou. Ela elogiou ainda a obra da poeta Myriam Fraga, de quem era amiga íntima. “A sedução da poética de Myriam perpassa pela linguagem. Uma linguagem que flui, que se afirma tantas vezes tocada, altamente plástica que é, mas que também permanece intocada, luminosa que é. Myriam se insinua em seus poemas como um canto sedutor, vindo de outro tempo, mas que ecoa aqui e agora, ora lírico, ora utópico, ora apaixonado, erótico, ora combativo, persuasivo, excitador, transgressivo, mas, em todos os momentos, atualíssimo”, exaltou.

Em maio será a vez do professor da Ufba Nelson Cerqueira tomar posse da Cadeira nº 4, antes ocupada pelo engenheiro Geraldo Machado, falecido em agosto de 2016. A data ainda será definida pela diretoria da Academia.

Imagens: João Batista

Anúncios