Academia de Letras da Bahia recebe a escritora portuguesa Teolinda Gersão

Um dos principais nomes da literatura portuguesa, a escritora Teolinda Gersão esteve, na última quinta-feira (21.09), na sede da Academia de Letras da Bahia palestrando sobre o seu novo romance “A Cidade de Ulisses”, livro recém-lançado no Brasil pela editora Oficina Raquel. A vinda da escritora à Bahia é uma parceira entre a ALB, o Programa de Pós-Graduação de Estudos Literários da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e a Cátedra Fidelino de Figueiredo.

Uma das escritoras modernas mais premiadas do país Luso, Gersão foi apresentada pela presidente da ALB, Evelina Hoisel, que destacou a importância do encontro para a instituição literária. “Teolinda é uma referência na literatura portuguesa. É uma satisfação enorme para Academia trazer uma escritora tão conceituada. Não há dúvidas que essa parceria é um momento precioso e uma oportunidade incrível de enriquecimento cultural”, disse. O escritor e acadêmico Aleilton Fonseca, um dos responsáveis pelo vinda da escritora à Bahia, lembrou sobre a troca de cartas realizadas entre ela e outro importante escritor lusitano, José Saramago. Alguns críticos enxergam similitude literária de Teolinda com a escrita de Saramago, no tom coloquial, que transparece em frases populares e provérbios que utiliza nas suas narrativas, aproximando o escritor do leitor.

Teolinda Gersão revelou que a literatura de autores baianos foram referências para a sua formação como escritora. “É um momento de muita alegria e satisfação, pois a Bahia é um lugar que conheci através da literatura, lendo os romances de Jorge Amado. Foi daí que começou a minha aproximação com a literatura brasileira. Ler um livro em outra língua é muito enriquecedor, e isso me ajudou muito, abrindo-me possibilidades como escritora diante de toda essa contribuição cultural”, afirmou.

Obra

Com relação ao livro “A Cidade de Ulisses”, que recebeu os Prêmios Ciranda e da Fundação Antônio Quadros, ambos em Portugal, a escritora classificou o título escolhido à essência e o contexto da antiga e a moderna cidade de Lisboa, fundada pela figura mitológica e herói de guerra grego, Ulisses. O romance tem sua narrativa ligada às artes visuais e questões políticas.“Todo livro é um caminhar no escuro, com uma nova aventura, uma nova história a cada página lida”, contou a autora. Após a palestra, houve o lançamento e a sessão de autógrafos da obra. A literária, que já passou pela cidade baiana de Feira de Santana, cumprirá agenda também nas cidades São Paulo, Belo Horizonte, Fortaleza, Petrópolis e no Rio de Janeiro, onde será recebida pelos imortais na Academia Brasileira de Letras (ABL).

Com livros traduzidos para 11 línguas, ela possui ao longo da sua carreira profissional livros publicados como Prantos, amores e outros desvarios (2016), Passagens (2014), As águas livres (2013), A cidade de Ulisses (2011), A mulher que prendeu a chuva (2007), Histórias de ver e andar (2003), O mensageiro e outras histórias com anjos (2003), Os teclados & três histórias com anjos (2012), Os anjos (2000), Os teclados (1999), A árvore das palavras (1997), A casa da cabeça de cavalo (1995), O cavalo de sol (1989), Os guarda-chuvas cintilantes (1984), História do homem na gaiola e do pássaro encarnado (1982), Paisagem com mulher e mar ao fundo (1982) e O silêncio (1981).