Acadêmico Carlos Ribeiro lança livro de contos neste sábado (30)

O acadêmico Carlos Ribeiro promove o lançamento do seu novo livro de contos Aventureiros do Apocalipse no próximo sábado (30.06), a partir das 15h30. O escritor receberá amigos em uma sessão de autógrafos na Confraria do França, no bairro do Rio Vermelho. Haverá também outro lançamento de livro. Trata-se de Arcos de Sentidos, literatura, tradução e memória cultura, da autora Heloísa Prazeres.

Sobre os livros:

Aventureiros do Apocalipse, de Carlos Ribeiro, é um livro de contos em que a matéria central é o desajuste do ser humano no mundo contemporâneo, marcado por desencontros e pela violência. A publicação conta com o prefácio de Antônio Torres, para quem os nove contos reunidos na obra confirmam as suas qualidades de contista, que alguns críticos argutos, e bem atentos, têm destacado ao longo de sua carreira.

Em Arcos de Sentidos, literatura, tradução e memória cultural, a autora pontua a sua trajetória intelectual, referindo a própria experiência acadêmica. Dá ênfase a obras de criação literária – poesia e ficção narrativa – de cultores do realismo e modernismos português e norte-americano, presentes também autores brasileiros, escritores oriundos da América Latina, de formação hispânica, e da América do Norte. Assim, integram a obra autores como Antero de Quental, Cesário Verde, Eça de Queirós, Graciliano Ramos, Helen Keller, Jorge Amado, Jamison Pedra, Juan Rulfo, Léopold Sédar Senghor, Mário de Sá-Carneiro, Olinda Maria Rodrigues Prata, Stephen Crane, Renato de Oliveira Prata, William Faulkner e William Stafford.

Lançamento de livros

Dia 30 de junho (sábado), a partir das 15h30min
Confraria do França
(Rua Lydio de Mesquita, Rio Vermelho – transversal da Rua da Paciência, próximo à Escola Medalha Milagrosa)
Entrada Gratuita

Anúncios

Livro de Ruy Espinheira Filho é finalista em premiação

O acadêmico Ruy Espinheira Filho é finalista da terceira edição do Prêmio Rio de Literatura. A obra Babilônia & outros poemas concorre no gênero Poesia. O livro foi publicado em 2017 pela editora Patuá. A premiação, que pagará mais de R$100 mil aos ganhadores das áreas de Prosa de Ficção, Poesia e Ensaio, busca reconhecer a qualidade da produção literária nacional. Os vencedores serão conhecidos em setembro.

unnamed

Ato em defesa da ciência acontece no feriado de 2 de Julho

No dia em que se comemora a independência da Bahia, 2 de julho (segunda-feira), a Academia de Ciências da Bahia promoverá um ato em defesa do conhecimento científico. Uma caminhada acontece com a presença de pesquisadores de inúmeras instituições do Estado, dentre elas a Academia de Letras da Bahia. A concentração ocorrerá na Igreja da Lapinha, a partir das 07h:15.

Revista Granta é lançada na Academia de Letras da Bahia

Confira imagens do lançamento da “Revista Granta”, ocorrido nesta terça-feira (19.06), na sede da Academia de Letras da Bahia. A publicação conta com textos de escritores brasileiros e portugueses.

Participaram do evento a cônsul de Portugal na Bahia, Nathalie Viegas, a presidente da Cátedra Fidelino de Figueiredo/UNEB, professora Rita Aparecida Santos, além da editora da revista Bárbara Bulbosa, da Tinta da China. Em sua fala, Bulbosa reconstituiu a história da revista, que este ano passou a ser editada nos dois países de língua portuguesa.

Lançamento da revista Granta acontece nesta terça na ALB

Acontece nesta terça-feira (19.06), na sede da Academia de Letras da Bahia, o lançamento da revista “Granta Portugal Brasil”. Esta será a primeira edição nos dois países. A publicação reúne textos de escritores brasileiros e portugueses. Participam do evento Barbara Bulhosa (editora Tinta da China), Carlos Vaz Marques (editor da Revista Granta), Evelina Hoisel (ALB), Aleilton Fonseca (escritor e acadêmico) e Rita Aparecida Santos (Uneb). O encontro terá início às 18h.

Governo lusitano homenageia o professor Edivaldo Boaventura

D. Solange e Lídia Boaventura com o cônsul Jorge Cabral (Foto: A TARDE).

O governo português, por meio do Consulado Geral no Brasil, condecorou nesta sexta-feira, 15, o educador Edivaldo Boaventura com a Ordem da Instrução Pública no grau de Comendador, pelos serviços prestados à educação e cultura nos dois países de língua portuguesa. Professor emérito da Universidade Federal da Bahia (UFBa), membro das academias de Letras e de Ciências no estado, Boaventura é também ex-diretor geral de A TARDE, onde ainda atua como articulista.

A cerimônia de entrega da honraria pelo embaixador português no Brasil, Jorge Cabral, foi realizada no auditório do Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Ufba, com a presença de diversos representantes dos meios acadêmico e científico. A condecoração foi recebida por Lídia Boaventura Pimenta, pró-reitora de Planejamento da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e que representou o pai na cerimônia, ao lado da mãe, Solange Boaventura.

Parceria

A apresentação do homenageado coube ao acadêmico Joaci Goés, que destacou a figura do professor Boaventura como “nome exponencial da educação no Brasil e um dos mais ostensivos amigos de Portugal, fomentador da parceria cultural e afetiva entre os dois países”. Para o cônsul Jorge Cabral, tal relação se construiu, se consolidou e cresce a olhos vistos.

O evento integra o projeto multicultural Bahia-Portugal: pontos que nos unem, realizado ao longo dos últimos dois meses em Salvador pelo consulado português na Bahia, com o objetivo de celebrar e aprofundar a histórica ligação, conforme explicou a cônsul Nathalie Viegas.

**Matéria publicada originalmente no portal de A TARDE.

Estudioso português visita pela primeira vez a Academia de Letras da Bahia

Em sua primeira visita à Academia de Letras da Bahia, ocorrida nesta quinta-feira (14), o estudioso português Arnaldo Saraiva não economizou elogios ao estado. Membro correspondente da Academia Brasileira de Letras e professor emérito da Universidade de Porto, ele foi um dos convidados do projeto “Bahia-Portugal: pontos que nos unem”, evento que acontece até o dia 19 na capital baiana em comemoração ao Dia de Portugal, do poeta Luís Vaz de Camões e das comunidades portugueses. “Carlos Drummond de Andrade tinha um poema que dizia assim: ‘Preciso fazer um poema sobre a Bahia, mas eu nunca fui lá’. Eu fiz uma paródia que dizia: ‘É preciso fazer um poema sobre a Bahia, mas eu já fui lá’. Vir a Bahia é talvez mais importante que fazer uma poema, porque essa cidade tem os encantos que sabemos”, exaltou ele, que dedicou boa parte do seus estudos ao poeta brasileiro.

Sobre as relações culturais entre os países, Saraiva disse: “Há longas décadas, brincava-se com uma frase que dizia: ‘Europa, França e Bahia’. Eu sempre preferi: ‘Europa, Portugal e Bahia’. Há muito mais relações do que a França”, contou. A vinda dele a Salvador foi para discutir a obra do lusitano Antônio Braz Teixeira, pensador em atividade que defende a aproximação entre as nações de língua portuguesa. “Um apaixonado pela literatura brasileira”, revelou. A cônsul-geral de Portugal na Bahia Nathalie Viegas também esteve no encontro.