ALB realiza nesta quinta (30) homenagem a Edivaldo Boaventura

Os confrades da Academia de Letras da Bahia realizam, nesta quinta-feira (30.08), a partir das 17h, uma homenagem póstuma ao vice-presidente da instituição literária Edivaldo Machado Boaventura, que faleceu na última quarta-feira (22.08), aos 84 anos. São aguardados amigos e familiares do intelectual baiano. A sessão acontece do Solar Góes Calmon, no bairro de Nazaré. Boaventura não resistiu às complicações de um procedimento cardíaco. Ele ocupava a Cadeira nº 39 da ALB desde 1971.

Anúncios

Paulo Ormindo publica artigo no A TARDE homenageando Edivaldo Boaventura

EDIVALDO BOA-VENTURA
Paulo Ormindo de Azevedo

Não consigo assumir a morte Edivaldo Boaventura, tão forte é a sua presença na Bahia, como grande educador, administrador público, escritor e jornalista. Formado em direito pela UFBA, foi a educação que sempre o seduziu, fazendo doutorado na Penn State University e pós na Universidade do Québec, além de estágios na Universidade de Paris e na Harvard Summer School. Edivaldo foi duas vezes Secretário da Educação e Cultura da Bahia, quando criou a Universidade do Estado da Bahia – UNEB, multi campi, e os parques históricos de Castro Alves e Canudos, membro da Academia Brasileira de Educação, da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação – ANPED, professor da UFBA, UNEB e da UNIFACS. Conheci Edivaldo no Colégio Antônio Vieira, onde éramos alunos. Nativo de Sant’Anna dos Olhos d’Água, exilado no pensionato do Pe. Torrent, logo ele passou a frequentar a nossa casa, especialmente nas festas de final de ano e São João, como outros amigos e colegas do interior, que minha mãe, Mariá, fazia questão de acolher. Mantivemos a amizade, já agora alargada por Solange e Esterzilda, durante a vida profissional, e estreitamos os contatos com o meu ingresso na Academia de Letras da Bahia, da qual ele seria presidente, considerado o “Chanceler”, pela representação que fazia dela junto a outras instituições como a Academia Portuguesa de História, Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e Instituto de Geografia e História Militar do Brasil. Pertenceu ainda às academias de Letras Jurídicas da Bahia, de Ciências da Bahia, Letras e Artes Mater Salvatoris, de Letras de Feira de Santana e Conquista e correspondente de Campos do Jordão. Edivaldo teve a boa-aventurnça, rara, de conhecer em vida o reconhecimento de seus méritos, recebendo os títulos de Professor Emérito da UFBA, Grande Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique, Officier de l’Ordre des Palmes Académiques, Donato di Devozione, da Soberana e Militar Ordem Hospitalar de Malta e Oficial da Ordem do Mérito Militar. Recordo, especialmente, o amigo fraternal de todos, seu senso de humor, o orgulho de ser de Feira de Santana, pequenina, mas decente, e o prazer de compartir a mesa farta regada por bons vinhos.

SSA: A Tarde de 26/08/18

Palestra do acadêmico Dom Emanuel d’Able do Amaral é cancelada

Em virtude do falecimento do acadêmico Edivaldo Boaventura, ocorrido nesta terça-feira (21.08), a palestra do confrade Dom Emanuel d’Able do Amaral, marcada para acontecer amanhã (23.08), às 17h, na sede da Academia de Letras da Bahia, foi cancelada. Uma nova data para a conferência “A ordem de São Bento e a cultura” será agendada pela diretoria da ALB.

Morre o acadêmico e professor Edivaldo Boaventura

Edivaldo-Boaventura-12

Foto: Fábio Marconi

Nota de falecimento

A Academia de Letras da Bahia se solidariza com os familiares do acadêmico e amigo Edivaldo Machado Boaventura, falecido nesta terça-feira (21.08), aos 84 anos. O intelectual não resistiu às complicações de um procedimento cardíaco. Atual vice presidente da instituição, mas considerado pelos confrades como eterno presidente, Boaventura integrava o sodalício literário desde 1971, quando, aos 38 anos, assumiu a Cadeira nº 39. Carinhosamente chamado pelos confrades de “chanceler da cultura baiana”, Edivaldo Boaventura era uma apaixonado pelos campos das ciências, letras e artes, tendo dirigido por produtivos anos a Secretaria de Educação do Estado e o jornal A TARDE, periódico de maior circulação do Norte e Nordeste. Foi inclusive neste período que ele fundou a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), na qual foi reitor, e ajudou também na criação da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), município onde nasceu.

Formou-se bacharel em Direito e em Ciências Sociais, ambas graduações pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), instituição que mais tarde o agraciaria com o título de professor emérito. Eram inúmeras as instituições da qual ele integrava o quadro de membros. Podemos citar, por exemplo, a Academia de Letras Jurídicas, Academia de Ciências da Bahia, Academia Brasileira de Educação, Academia de Letras de Feira de Santana, benemérito da Conquistense, correspondente da de Campos de Jordão, e das Letras e Artes Mater Salvatoris. Foi também sócio do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB). Acrescente-se à sua biografia o título de Comendador e Grande Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique, Officier de l`Ordre des Palmes Académiques, Oficial da Ordem do Mérito Militar. A última homenagem em vida veio do governo português com a “Ordem da Instrução Pública no grau de Comendador” pelos serviços prestados à educação e cultura nos dois países de língua portuguesa, em 2018.

ALB

Edvaldo Boaventura era um entusiasta quando o assunto era a Academia de Letras da Bahia. Foram mais de 45 anos frequentando e atuando em prol da instituição literária. Conhecia cada detalhe, cada espaço da casa de cultura. Membro benfeitor, presidiu a agremiação no mandato de 2007 a 2011. Sua liderança era inquestionável, sempre disposto a compartilhar e ouvir interesses intelectuais. “É um gentleman”, diziam repetidamente os colegas sobre o seu modo educado de tratar as pessoas. Recentemente, esteve à frente, junto com outros confrades, da organização do centenário da ALB. Participar das sessões ordinárias, extraordinárias e de todos os eventos realizados no Solar Góes Calmon sempre foi motivo de aprendizado para ele. “É o espaço para agregar ideias”, disse durante uma das suas conferências. A biblioteca e o arquivo eram paradas obrigatórias por ele, sempre enriquecendo os espaços com algo de bom, seja um novo livro ou artigo escrito.

Sem dúvidas, a Academia de Letras da Bahia, como instituição que preserva a memória cultural do Estado, fará da obra de Edivaldo Machado Boaventura um legado a ser transmitido para a formação de todas as gerações baianas. A ALB, com grande pesar, decreta luto oficial por três dias e a suspensão das atividades acadêmicas no dia 23 de agosto (quinta-feira), quando ocorrerá, às 15h, o seu sepultamento, no cemitério Jardim da Saudade.

Acadêmico Fredie Didier Jr. promove minicurso sobre negócios jurídicos processuais

O professor e membro da Academia de Letras da Bahia, Fredie Didier Jr., promove, no dia 19 de setembro (quarta-feira), das 14h às 17h, o minicurso “Negócios Jurídicos Processuais”. O evento acontece na sede da ALB, no bairro de Nazaré. Voltado a estudantes de direito, advogados, defensores públicos e integrantes do Ministério Público, a discussão visa capacitar os operadores do Direito na compreensão e no uso dos negócios jurídicos processuais, uma das principais novidades do novo Código de Processo Civil brasileiro. As inscrições custam R$25 e podem ser realizadas neste LINK.

A Academia de Letras da Bahia está localizada na Avenida Joana Angélica, nº 198, bairro de Nazaré. Maiores informações pelo e-mail contato@academiadeletrasdabahia.org.br.

Confira as fotos da palestra de Cleise Mendes sobre Antonin Artaud

A acadêmica Cleise Mendes falou sobre a obra do poeta, dramaturgo e cineasta francês, Antonin Artaud. A palestra aconteceu nesta quinta-feira (16.08) na sede da Academia de Letras da Bahia, em Nazaré. Ela abordou os aspectos que unem o surrealismo e o sucesso, uma das marcas da produção intelectual de Artaud.

  • Confira as fotos do encontro:

Dom Emanuel d’Able do Amaral realiza palestra sobre a cultura da ordem de São Bento

Foto: Fernando Vivas – A Tarde – 18/03/2012

O acadêmico Dom Emanuel d’Able do Amaral, ocupante da Cadeira nº 37 da Academia de Letras da Bahia, ministrará, no dia 23 de agosto (quinta-feira), às 17h, a palestra “A ordem de São Bento e a cultura”. O encontro acontece no Solar Góes Calmon, em Nazaré. Dom Emanuel d’Able do Amaral é arquiabade do Mosteiro de São Bento, em Salvador (BA).