Encontro com a poeta Livia Natália na Academia de Letras da Bahia

A Academia de Letras da Bahia recebe em sua sede a premiada autora Lívia Natália Santos, uma das maiores expressões da poesia contemporânea baiana, para falar sobre sua obra e trajetória. O encontro, aberto ao público, acontecerá no dia 14 de novembro, às 17h.

Livia Natália de Souza Santos nasceu em Salvador, Bahia, em 25 de dezembro de 1979. Mestre e Doutora em Teorias e Crítica da Literatura e da Cultura pela Universidade Federal da Bahia, a autora é hoje professora adjunta de Teoria da Literatura na mesma Universidade. Ela também coordena grupos de pesquisa nos quais se dedica a estudar a Literatura Negra escrita por mulheres no Brasil e nos países africanos que tem o Português como língua oficial.

Lívia Natália considera fazer poesia como a sua missão afetiva primordial. Em seu trabalho, ela aborda também a vivência no Candomblé e temáticas relativas à relação da mulher negra com seu corpo, cabelos e todos os signos étnico-raciais que atravessam, ela tem subvertido conceitos e reinventado modos de ser.

Entre os eventos literários do qual participou destacam-se a Festa Literária Internacional de Cachoeira, a Bienal do livro da Bahia, o Lançamento oficial do livro Água Negra no Solar Cunha Guedes e o Festival Latinidades. Para a escritora Conceição Evaristo, “A poesia de Lívia Natália suavemente nos sugere um retorno às maternais correntezas, fluído espaço original, lugar concreto em que um corpo se solidifica.”.

PUBLICAÇÕES

Obra Individual

Água negra. Salvador: EPP, 2011. (poesia).

Correntezas e outros estudos marinhos. Salvador: Ogum’s Toques Negros, 2015. (poesia).

Água negra e outras águas. Salvador: EPP, 2016. (poesia).

Dia bonito pra chover. Rio de Janeiro: Malê, 2017. (poesia).

Sobejos do mar. Salvador: EPP; Caramurê Publicações, 2017. (poesia).

As férias fantásticas de Lili. São Paulo: Ciclo Contínuo, 2018. (infantojuvenil).

Antologias

Coletânea de Literatura Feminina Negra Louva Deusas. Organização de Louva Deusas. São Paulo: [s.n.], 2012.

Ogum’s toques negros: coletânea poética. Organização de Guellwaar Adún, Mel Adún e Alex Ratts. Salvador: Ogum’s Toques Negros, 2014.

Revista Palmares. Brasília, Ano x, v. 8, n.1, p. 85-86, Novembro de 2014.

Não ficção

A pedagogia franqueada; Judith Grossmann e a cena Teórico-crítica do PPGLL do Instituto de Letras. 2008. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2008.

A pedagogia da ausência e outras ensinanças: Judith Grossmann e a cena da escritura. 2005. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005.

Dona flor a fiandeira nos silêncios: a dialética do amor e da moral como estratégia de sub-versão da castração. In: Praxis, Salvador, v. 4, 2006.

As filigranas da dor em “Contos cruéis de guerra”, de Ibéa Atondi. In: Independência (FDJ), v. 1, p. 67-74, 2007.

“Dona Flor e seus dois maridos”: a dialética do amor como estratégia para a subversão da castração. In: Quinto Império, Salvador, v. 2, p. 105-120, 2007.

A lírica menor: por uma Teoria da Literatura das Literaturas Africanas de Língua Portuguesa. In Crítica Cultural, v. 5, p. 219-231, 2010.

A violência como devir-sujeito em Albert Camus, José Padilha e Clarice Lispector. In: A Cor das Letras, Feira de Santana, UEFS, v. 11, p. 31-47, 2010.

Onde faltar a tolerância, que sobreviva o respeito. In: A tarde, Salvador/Bahia, 21 jan. 2011.

Os blogues como cena bioficcional na formação da literatura baiana contemporânea. In: Texto Digital, Rio de Janeiro, UERJ, v. 7, p. 113-130, 2011.

Poéticas da Diferença: A representação de si na Lírica Afro-feminina. In: A Cor das Letras, Feira de Santana, UEFS, v. 12, p. 105, 2011.

O estrangeiro e o estranho na cena da diferença em Camus e Clarice Lispector. In: OLIVEIRA, Humberto de; ABOMO-MAURIN, Marie-Rose. (Org.). Poéticas da alteridade. Feira de Santana: EduEFS, 2011. v. 1, p. 175-186.

A lírica menor: por uma Teoria da Literatura das Literaturas africanas de Língua portuguesa. In: SANTOS, José Henrique de Freitas; Ricardo RISO. (Org.). Afro-rizomas na diáspora negra. Rio de Janeiro: Kitabu, 2013, v. 1, p. 89-102.

Múltiplas Paragens do corpo intelectual: Poéticas da diferença em Mel Adún, Ana Paula Tavares e Esmeralda Ribeiro. In: SANTOS, José Henrique de Freitas; RISO, Ricardo. (Org.). Afro-rizomas na diáspora negra. Rio de Janeiro: Kitabu, 2013. v. 1, p. 143-162.

Meu pai não montava a cavalo, nem ia para o campo: algumas questões sobre a formação da escritora e do leitor negro no Brasil contemporâneo. In: SILVA, Cidinha da (Org.). Africanidades e relações raciais: insumos para políticas públicas na área do livro, leitura, literatura e bibliotecas no Brasil. Brasília: Fundação Cultural Palmares, 2014, p. 70-80.

 

Anúncios