Joaci Góes destaca o papel da educação ao tomar posse como presidente da ALB

Com o auditório lotado de escritores e personalidades do mundo cultural, politico e empresarial da Bahia, o empresário, escritor e jornalista Joaci Góes tomou posse, na ultima quinta-feira, dia 21 de março, no cargo de presidente da Academia de Letras da Bahia. Sua gestão se dará no período de 2019-2021 e, segundo ele, fará tudo para que a instituição, com o peso de sua tradição, respeitabilidade, prestígio moral e intelectual, continue a “exercer papel de relevo junto ao poder público no sentido de fazer da educação o instrumento fundamental do desenvolvimento de nosso Estado, sem o qual o exercício da verdadeira cidadania continuará sendo instrumento de chantagem eleitoral”.

Joaci Góes enalteceu o caráter histórico da instituição, lembrando a sua importância no contexto cultural e social do estado da Bahia. “Quando nos debruçamos sobre as biografias que se vinculam a esta notável Instituição cultural, o sentimento de honra e de responsabilidade de presidi-la, a partir de hoje, é de natureza a fazer derrear os ombros”, disse, observando que “para desincumbirmo-nos a contento das elevadas responsabilidades de dirigir tão notável instituição que pedimos e esperamos receber o apoio dos baianos, de todos os naipes sociais, políticos e econômicos”.

Antes de passar o cargo ao seu sucessor, a presidente da ALB, Evelina Hoisel, fez questão de realizar uma prestação de contas de sua gestão, além de aproveitar a ocasião para lançar mais uma edição da Revista da Academia de Letras da Bahia. Em uma breve retrospectiva, enumerou as principais realizações da ALB nos últimos dois anos, e concluiu:

“A turbulência da crise econômica vivida no país tornou o percurso da diretoria que hoje se despede um tanto árduo, mais laborativo, tendo que enfrentar desafios. Este enfrentamento foi possível porque a Academia de Letras estava em um bom momento de estabilidade administrativa e financeira, resultante do trabalho realizado pelos presidentes que me antecederam, principalmente os benfeitores Edivaldo Machado Boaventura e Aramis Ribeiro Costa. Mesmo assim, fomos atingidos pelos ventos da tempestade e só foi possível atravessar as intempéries com o imprescindível apoio da diretoria, sempre disponível a auxiliar, da participação dos acadêmicos e da afetiva e efetiva compreensão dos funcionários”.

Além de Joaci Góes, tomaram posse na mesma solenidade os escritores Nelson Cerqueira (vice-presidente), Ordep Serra (1o secretário), Gláucia Lemos (2o secretário) e Paulo Ormindo (3o secretário).

Anúncios