Porto Calendário tem lançamento na ALB

A Academia de Letras da Bahia lança nesta terça-feira, dia 20 de agosto, às 18 horas, na sua sede, o livro Porto Calendário, escrito por Osório Alves de Castro, romancista alfaiate e militante do Partido Comunista, nascido em Santa Maria da Vitória, Bahia, no século XIX, e falecido em Itapecerica da Serra, em 1978.

Na Santa Maria da Vitória da época de Osório era-se “o coice do mundo” e ao mesmo tempo o vale do Rio Corrente representando uma “porta aberta para o destino dos moços”. Diz o autor sobre Santa Maria da Vitória: “Mal os meninos engrossavam a voz, escreviam com carvão nas paredes da igreja: “No ano que vem, caminho de Ribeirão Preto tem”. Ou seja, sem perspectivas futuras salvo ser comerciante de rapadura e/ou barranqueiro, o futuro estava longe dali, em São Paulo, nas terras do café e da fartura

No livro, o autor conta a trajetória da família de Pedro Voluntário da Pátria, ex-revolucionário da Guerra do Paraguai, e usa uma linguagem que se assemelha ao palavreado de Guimarães Rosa em “Grandes Sertões – Veredas”. Em carta de 21 de fevereiro de 1953, Guimarães saúda Osório Alves de Castro: “Só uma viagem ao interior de Minas é que retardou o recebimento a essa resposta à sua carta de 5-1, que arredondou minha alegria, sendo valioso acontecimento. Companheiro proclamado, amigo “prévio”, pessoalmente ainda não conhecido, mano velho, sãofranciscano, barranqueiro. Você já estava sob a minha espera; desde a carta, a outra, a notável epistola aos incréus citadinos e gentios não-franciscanos, esplêndido e explosivo sumário das coisas e gentes graves de lá, e forte documento”.