Cadeira 13

Patrono: Francisco Moniz Barreto (1804-1868)

Fundador: Egas Moniz Barreto de aragão, literariamente conhecido por Pethion de Villar (1870-1924)

Sucessores:

  • Afonso de Castro Rebelo Filho (1888-1965)
  • Walter Raulino da Silveira (1915-1970)
  • Odorico Montenegro Tavares da Silva (1912-1980)
  • Fernando Seixas de Macedo Costa (1925-1984)
  • Myriam de Castro Lima Fraga
  • Titular atual: Edilene Dias Matos
  • Posse em: 30.03.2017

Edilene Matos é doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Fez Pós-Doutorado em Literatura Brasileira na USP (São Paulo). Tem Pós-Doutorado em Poéticas da Voz pela Université Paris-Ouest Nanterre La Défense. Foi Professor Doutor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Foi, também e por um longo período Diretora do Departamento de Literatura da Fundação Cultural do Estado da Bahia. Atualmente, é profa. da Universidade Federal da Bahia e Coordenadora do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade, além de  Presidente da ABRAVOZ (Associação Brasileira de Pesquisadores da Voz). Publicou dezenas de artigos em periódicos especializados (ex: Uma lição de amigos DO Leitura, SP, 2001; Um canto para Cecília Meirelles ao som do cravo, Revista Ângulo, Lorena, 2001; Comentário à entrevista de Villa-Lobos concedida a Antonio de Alcântara Machado (Villa-Lobos e o Folclore Nacional, SP, DO Leitura, 2001) Possui vários capítulos de livros (ex: La nature comme personnage.Confontation entre Eros et Thanatos. In: Ensayos Semióticos (domínios, modelos y miradas desde el cruce de la naturaleza y la cultura, México, Miguel Angel Porrua ed, 2000  e 8 livros publicados (ex: O boquirroto de megafone e cartola -RJ, Manatti Editora, 2004 -; Castro Alves Imagens fragmentadas de um mito – SP, EDUC/FAPESP, 2000 -; Minelvino Francisco Silva – SP, Hedra, 2000 -Ele, O tal, Cuíca de Santo Amaro – Salvador, Secretaria de Cultura, 1998, Notícias de um boquirroto Possui  itens de produção técnica. Participou de vários congressos no Brasil e no exterior. Atua na área de Cultura e Arte,, com ênfase em Cultura Brasileira. Em suas atividades profissionais interagiu com colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. Em seu currículo, os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Literatura Brasileira, cultura brasileira, imaginário, poéticas orais, diálogo, oralidade, popular, voz, cordel, crítica, ficção e intertextualidade.