Professora e acadêmica Evelina Hoisel lança novo livro

A Civilização Brasileira e o Instituto de Letras da UFBA convidam para o lançamento do livro “Teoria, crítica e criação literária – O escritor e seus múltiplos”, da renomada professora de Teoria da Literatura, Evelina Hoisel, no dia 29 de agosto (quinta-feira), às 17horas, no Instituto de Letras da UFBA, no Campus de Ondina – sala de Defesa da Pós Graduação (Rua  Jeremoabo, 147, Ondina,Salvador, Bahia)

O lançamento terá mesa redonda com a autora, tendo como convidados Antonia Herrera (coordenadora), Evando Nascimento (diretor da coleção), Pedro Alain e Lígia Teles. Em seguida, ocorrerá a sessão de autógrafos da professora Evelina Hoisel, que é professora do Instituto de Letras da UFBA, ex-presidente da Academia de Letras da Bahia e membro da Academia de Ciências da Bahia.

Segundo a sinopse de lançamento, no seu novo livro, a professora Evelina Hoisel apresenta questões essenciais que permeiam o universo da teoria, da crítica e da criação literária, principalmente a noção do escritor e seus múltiplos, desdobrados nas funções de crítico, intelectual e professor. Autores como Silviano Santiago, Haroldo de Campos, Décio Pignatari, Affonso Romano de Sant’Anna, Judith Grossmann e Evando Nascimento, entre outros, são abordados sob o prisma de questões contemporâneas, segundo aspectos de autobiografia, autoficção e bioficção, temáticas decisivas para a literatura no século XXI. Sublinhe-se a perspectiva interdisciplinar dos estudos literários em relação à Filosofia, em particular pensadores franceses como Jacques Derrida, Michel Foucault, Gilles Deleuze e Roland Barthes.

Evelina Hoisel é autora de vários livros e participa também de coleções com outros autores. Entre essas publicações, destaque para Supercaos: os estilhaços da cultura em PanAmérica e Nações Unidas (1980), A leitura do texto artístico (1996), Grande sertão: veredas – uma escritura biográfica (2006), Viagens – Vitorino Nemésio e intelectuais portugueses no Brasil (2007), As formas informes do desejo: Helena Parente Cunha (2010), Poesia e memória: a poética de Myriam Fraga (2011), Jorge Amado nos terreiros da ficção (2012) e Jorge Amado: 100 anos escrevendo o Brasil (2013).

Professora titular da UFBA, junto ao Departamento de Fundamentos para o Estudo das Letras, no Instituto de Letras, desde 1971, Evelina Hoisel atua nos cursos de Graduação e de Pós-Graduação do Instituto de Letras – Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística, e da Escola de Teatro – Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFBA. No Instituto de Letras, foi coordenadora do Curso de Mestrado em Letras, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística e, por dois mandatos consecutivos, foi diretora do Instituto de Letras. Foi editora e co-editora da revista Estudos Lingüísticos e Literários e é membro do conselho editorial de várias revistas acadêmicas, de instituições locais e nacionais. Também desenvolve atividades de pesquisa junto ao grupo “O escritor e seus múltiplos: migrações”.

Anúncios

Porto Calendário tem lançamento na ALB

A Academia de Letras da Bahia lança nesta terça-feira, dia 20 de agosto, às 18 horas, na sua sede, o livro Porto Calendário, escrito por Osório Alves de Castro, romancista alfaiate e militante do Partido Comunista, nascido em Santa Maria da Vitória, Bahia, no século XIX, e falecido em Itapecerica da Serra, em 1978.

Na Santa Maria da Vitória da época de Osório era-se “o coice do mundo” e ao mesmo tempo o vale do Rio Corrente representando uma “porta aberta para o destino dos moços”. Diz o autor sobre Santa Maria da Vitória: “Mal os meninos engrossavam a voz, escreviam com carvão nas paredes da igreja: “No ano que vem, caminho de Ribeirão Preto tem”. Ou seja, sem perspectivas futuras salvo ser comerciante de rapadura e/ou barranqueiro, o futuro estava longe dali, em São Paulo, nas terras do café e da fartura

No livro, o autor conta a trajetória da família de Pedro Voluntário da Pátria, ex-revolucionário da Guerra do Paraguai, e usa uma linguagem que se assemelha ao palavreado de Guimarães Rosa em “Grandes Sertões – Veredas”. Em carta de 21 de fevereiro de 1953, Guimarães saúda Osório Alves de Castro: “Só uma viagem ao interior de Minas é que retardou o recebimento a essa resposta à sua carta de 5-1, que arredondou minha alegria, sendo valioso acontecimento. Companheiro proclamado, amigo “prévio”, pessoalmente ainda não conhecido, mano velho, sãofranciscano, barranqueiro. Você já estava sob a minha espera; desde a carta, a outra, a notável epistola aos incréus citadinos e gentios não-franciscanos, esplêndido e explosivo sumário das coisas e gentes graves de lá, e forte documento”.

Ordep Serra lança livro na ALB

O professor e antropólogo Ordep Serra lança nesta quarta-feira, dia 14 de agosto, às 18 horas, na sede da Academia de Letras da Bahia, no bairro de Nazaré, o livro ” Alalá do Luaréu”.  O lançamento é uma realização da Assembleia Legislativa da Bahia em parceria com a ALB. Ordep tem cerca de vinte livros de ensaios publicados, sendo onze de sua autoria exclusiva. Em periódicos científicos e de difusão cultural tem cerca de cinquenta artigos publicados.

Traduziu e comentou a tragédia sofocleana Rei Édipo, o Hino Homérico a Hermes, o Hino Homérico a Deméter e os Hinos Órficos, de que fez a primeira versão para a língua portuguesa. Traduziu, também, seis importantes livros de ensaios sobre as civilizações clássicas. Realizou pesquisas antropológicas na Área Indígena do Xingu, no Pará, em Minas Gerais, em Brasília e na Bahia. Dedica-se também à atividade literária. As quatro obras de ficção que publicou foram premiadas em concursos nacionais de literatura.

Ordep Serra é bacharel em Letras e Mestre em Antropologia Social pela UnB, doutor em Antropologia pela USP. Estagiou no Centre Louis Gernet da École de Hautes Études en Sciences Sociales, a convite de Pierre Vernant, sendo lá orientado por Pierre Vidal-Nacquet. Tem pós-doutorado em Literatura e Cultura. Ensinou Língua Grega na UnB, em cursos de graduação e pós-graduação, na qualidade de membro do Centro de Estudos Clássicos fundado e dirigido por Eudoro de Sousa. Ensinou Língua Portuguesa e Introdução à Filosofia na Faculdade Católica de Ciências Humanas de Taguatinga. Aposentou-se como Professor Associado da Universidade Federal da Bahia, onde ensinou nos Departamentos de  Sociologia e Antropologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas.

Trajetória de uma vida – de estagiário a empresário de hotelaria

Trajetória de uma vida

Joaci Góes

Para as marcantes personalidades de Julieta Isensée, Margarida Luz e Lícia Fábio!

Com a palestra do empresário Cícero Sena, seguida de debate, sob o título De estagiário a empresário da hotelaria, a Academia de Letras da Bahia deu início, com grande êxito, ao programa Trajetória de uma Vida para ouvir personalidades da seara pública e privada da Bahia, com marcante contribuição ao nosso desenvolvimento em múltiplos domínios. Os próximos expositores, já agendados, são os empresários Luís Mendonça Filho, expoente do setor de transportes, e Teobaldo, do Atakarejo, expoente da área de supermercados.

Com essa e outras iniciativas de grande alcance, a nossa Academia corresponde ao seu histórico prestígio cultural e à sua notável ancianidade como instituição decana do Continente, se levarmos em conta que sua primeira versão data de 1724 quando se instalou sob o nome de Academia dos Esquecidos, em represália à omissão proposital da Corte de Lisboa em não incluir intelectuais brasileiros em sua Academia de Letras de 1720, no estilo e padrão do modelo matriz que é a Academia Francesa de Letras. Ao não incluir brasileiros, Portugal já se inquietava ao perceber que eram crescentes as dificuldades para que o rabo continuasse abanando o cão.

Relativamente aos nomes que podem figurar nesta relação privilegiada de palestrantes, o poeta espanhol Antônio Machado nos deu régua e compasso ao ensinar que “Caminhante, não há caminho; o caminho se constrói andando”. Isso significa que preenchidos os requisitos de reconhecida maturidade existencial e uma respeitável biografia no campo cultivado, tudo o mais fica por conta dos entendimentos entre essas personalidades e ou pessoas a elas ligadas e a direção da ALB, para que o encontro seja agendado, em data aberta no calendário da Academia, conforme pode ser aferido em livre consulta ao seu site. O próprio expositor elabora o modelo e duração da programação, consoante seu desejo e sensibilidade, priorizando, como assistentes, para ocupar os 150 assentos do auditório, pessoas de sua livre eleição. Aberta como tem sido, ao longo de sua centenária e gloriosa biografia, a tudo que seja relevante do ponto de vista humano, agentes dos mais diversificados domínios profissionais são potencialmente aptos a preencher os atributos, em processo, ainda embrionário de sua conceituação.

Na tentativa de uma virtualmente impossível listagem exaustiva, poderíamos mencionar, além de todas as profissões liberais, os mais diversos campos do agir humano valorizados pelo organismo social, sem preconceito, de qualquer índole. Tudo, afinal, que constitui a matéria prima do obrar literário. 
Impressiona a ausência de registro adequado, para recordação de amigos, descendentes e da posteridade, do mínimo que seja da existência de personalidades respeitáveis que contribuíram para o enriquecimento de nossa história coletiva. O programa Trajetória de uma vida, sem dúvida, um marco como fonte de nossa historiografia, vem para preencher esta lacuna por todos os títulos lamentável. 
Pelo que se viu no encontro inaugural, cada episódio deverá constituir uma experiência imorredoura no ânimo de todos os partícipes.

Joaci Góes, escritor, é presidente da Academia de Letras da Bahia, ex-diretor da Tribuna da Bahia. Texto publicado nesta quinta-feira, 18, na TB.

Cancelado evento sobre raízes negroafricanas

A Academia de Letras da Bahia comunica o cancelamento temporário do Seminário Temático “Nossas Raízes Negroafricanas em Quatro Cantos da Bahia”, que seria realizado nos dias 08 e 09 de agosto próximo, das 17h. às 20h, na sede da Academia, na Avenida Joana Angélica, 198 – Nazaré. O cancelamento ocorreu por conta da programação coincidente da Feira Literária do Pelourinho (Flipelô). Será marcada uma nova data para o evento.

 

ALB homenageia 60 anos do livro História da Bahia

A Academia de Letras da Bahia promove no dia 25 de julho, às 17 horas, em sua sede, no bairro de Nazaré, uma homenagem aos 60 anos de publicação do livro História da Bahia, de Luis Henrique Dias Tavares (foto). O livro é considerado de grande importância para a compreensão da história do estado da Bahia, sendo objeto de consulta para uma geração de pesquisadores e historiadores baianos.

Na oportunidade, a professoras Marli Geralda Teixeira e Maria José Andrade, estudiosas da vida do autor – hoje com 93 anos de idade – vão falar sobre a “metamorfose” sofrida pelo livro História da Bahia ao longo de suas sucessivas edições, a partir de 1959 até a mais recente, levando em conta os aprimoramentos e acréscimos relevantes.

O livro mais recente foi editado pela Editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba), que na ocasião da homenagem será representada por sua diretora, professora Flavia Garcia Rosa.