Livro de Cyro de Mattos traduzido para o italiano será apresentado em salão internacional

A antologia poética Poesie Brasiliane della Bahia (Poesia Brasileira da Bahia), do baiano e acadêmico Cyro de Mattos, será apresentada pela Aracne Editora no Salão Internacional do Livro em Turim, Itália, que será realizado de 10 a 14 de maio de 2018. Este ano, mais de 300 editoras de 81 países participarão do evento. O livro Poesie Brasiliane della Bahia integra a Coleção Ragnatele, sendo traduzido para o italiano por Mirella Abriani. A imagem da capa é de autoria do desenhista baiano Ângelo Roberto.

Com doze livros publicados em várias editoras europeias, Poesie Brasiliane della Bahia é o quinto livro do autor baiano Cyro de Mattos publicado na Itália. A antologia reúne poemas selecionados dos livros Cancioneiro do Cacau, Vinte Poemas do Rio, Ecológico, Oratório de Natal e dos inéditos Rumores de Relva e Mar, Devoto do Campo e Agudo Mundo.

Anúncios

Seminário discute os mitos de Édipo; inscrições abertas

00

O acadêmico Ordep Serra ministrará nos dias 25 e 26 de abril o seminário “Os Mitos de Édipo”. A discussão, que acontece na sede da Academia de Letras da Bahia, no bairro de Nazaré, se destina a uma reflexão sobre os mitos gregos relativos ao herói Édipo, tendo como ponto de partida a observação de que eles precedem a construção do chamado “mito de Édipo”, cuja singularidade se construiu e afirmou a partir de análises modernas sobre uma obra trágica tirada do contexto dramático em que teve origem. As inscrições  – gratuitas – poderão ser realizadas através deste link. Será emitido certificado ao participante que obtiver 75% de frequência no seminário.

O seminário é aberto a pessoas interessadas na abordagem dos mitos clássicos e sua reconstrução moderna, a exemplo de escritores, psicólogos, analistas e estudantes. As inscrições podem ser realizadas no Solar Góes Calmon, localizado Avenida Joana Angélica, nº 198. Os debates acontecem sempre das 14:30 horas às 18:30 horas.

ALB recebe visita de alunos e professores de universidades federais

A troca de experiências institucionais foi um dos motivos da visita à sede da Academia de Letras da Bahia de alunos e professores do curso de biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e da Universidade Federal do Pará (UFPA). O encontro, ocorrido nesta quarta-feira (18.04), buscou identificar as atividades e práticas biblioteconômicas, arquivísticas e museológicas executadas pela ALB, bem como promover o conhecimento crítico sobre a importância dos centros de memórias, além da preservação e disseminação de informação contida nos suportes disponibilizados em seus acervos.

Durante a visita técnica, foram discutidos assuntos envolvendo o processamento técnico do acervo, a sua classificação e indexação, vantagens e desvantagens no processo de gestão de acervos especiais, históricos e de memória. Participaram do encontro nomes como Stefanie Cavalcanti, professora de História do Livro e das Bibliotecas e Políticas de Preservação da Unirio; Fabiano Cataldo, professor de História do Livro e das Bibliotecas e Políticas de Preservação da Unirio; Vinícius Tolentino, professor de Representação Descritiva da Unirio; Elisangela Silva da Costa, professora da UFPA, da disciplina Representação Temática da Informação; Katia Leal, aluna da Unirio; Claudia Souza, aluna da Unirio; Bruno Lopes do Rosário, coordenador do Arquivo da ALB; Marcelo Fraga da Silva, coordenador da Biblioteca da ALB; e Overlúcia Rodrigues Silva, auxiliar de Biblioteca da ALB.

Estudantes visitam instalações da ALB

A Academia de Letras da Bahia recebeu na última sexta-feira (13) a visita de 25 alunos do Centro de Ensino Grau Técnico (unidades da Fonte Nova e Cajazeiras) da capital baiana. Os estudantes, acompanhados do instrutor Gilberto Vilaça, tiveram a oportunidade de conhecer de perto as instalações da ALB, sobretudo o acervo centenário da instituição literária. Esta iniciativa é permanentemente apoiada pela Academia, especialmente para difundir a memória cultural do Estado.

  • Confira fotos da visita guiada:

Livro destaca os 100 anos de atuação da ALB

O empenho intelectual de preservar a memória cultural do Estado fez com que a Academia de Letras da Bahia lançasse, no último dia 10 (terça-feira), um livro comemorativo aos 100 anos da sua fundação. Intitulado Academia de Letras da Bahia: um século de história, a publicação narra a trajetória da entidade a partir de imagens e textos escritos por acadêmicos. A cerimônia de lançamento aconteceu na sede da ALB, Solar Góes Calmon, localizado no bairro de Nazaré. Publicado pela editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba), com o apoio da Secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, o livro foi disponibilizado gratuitamente ao público presente à solenidade. A ALB foi fundada em sete de março 1917 pelo engenheiro baiano Arlindo Fragoso. As primeiras atividades tiveram início em abril deste mesmo ano.
Diploma
O encerramento do ano do centenário da Academia de Letras da Bahia contou ainda com a concessão às instituições parceiras do título de “Diploma Amigo da Academia”. Nomes como o da Prefeitura Municipal de Salvador, Assembleia Legislativa da Bahia, Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, Fundação Pedro Calmon, dentre outras, foram homenageadas pela casa de cultura.

Academia de Letras da Bahia lança livro sobre os 100 anos da sua fundação

A Academia de Letras da Bahia encerrará as comemorações do seu centenário – iniciado em 2017 – com o lançamento do livro alusivo à história de 100 anos da sua fundação. Intitulado Academia de Letras da Bahia: um século de história, a solenidade acontece no dia 10 de abril (terça-feira), no Solar Góes Calmon, às 19 horas.

A publicação, lançada pela editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba), com apoio da Secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, faz um retrato fiel da trajetória intelectual da instituição literária, inaugurada em sete de março 1917 pelo engenheiro baiano Arlindo Fragoso. A autoria é dos acadêmicos Evelina Hoisel (Presidente), Roberto Santos, Aramis Ribeiro Costa, Edivaldo M. Boaventura, Carlos Ribeiro, Paulo Ormindo, Suzana Alice Cardoso e Aleilton Fonseca. A entrada é aberta ao público.