Escola de Belas Artes emite nota de louvor

A Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia emitiu uma Nota de louvor pela indicação e aprovação do artista plástico Juarez Paraíso para compor os quadros da Academia de Letras da Bahia, ocupando a cadeira 39. Assinada pela diretora da EBA, Nanci Santos Novais, a nota parabeniza Juarez Paraíso e ressalta ser ele o primeiro artista plástico a tornar-se acadêmico.

Nota de Louvor
A Escola de Belas Artes sensibilizada e honrada com o novo Título almejado pelo Artista Plástico e Visual JUAREZ MARIALVA TITO MARTINS PARAISO, Professor Emérito da Universidade Federal da Bahia, por mais de 60 anos dedicados à sala de aula desta casa, onde também exerceu o cargo de Diretor da Unidade, parabeniza por sua eleição como Membro da Academia de Letras da Bahia como o 1º Artista Plástico a ocupar uma cadeira de tão representatividade nesta reconhecida Academia, felicitando os seus familiares, amigos e colegas.

Salvador, 12 de dezembro de 2018

Profª Nanci Santos Novais – Diretora

Anúncios

APUB apoia eleição de Juarez Paraiso para a ALB

A APUB – Sindicato dos Professores da Instituições Federais de Ensino Superior da Bahia divulgou nota em apoio à eleição do artista plástico Juarez Paraíso para a Academia de Letras da Bahia, onde ocupará a cadeira 39, que pertencia ao professor Edvaldo Boaventura, falecido em agosto último. Abaixo, a nota na íntegra:

“A Academia de Letras da Bahia elegeu, na última segunda-feira (10), o artista plástico e professor Juarez Paraíso para a cadeira 39,em substituição ao professor Edivaldo Boaventura.

Juarez Paraíso, professor da Escola de Belas Artes da UFBA,é respeitado em todo mundo artístico, sendo autor de obras que marcaram inclusive a cidade de Salvador

A Apub acrescenta às homenagens alguns elementos sobre a ação do militante Juarez Marialva Tito Martins Paraíso, um dos fundadores da Apub Sindicato, em agosto de 1968, e assim filiado há mais de 50 anos. Sempre participou e apoiou as atividades do sindicato. Um exemplo de seu apoio é o quadro que honra o acervo da Apub (veja abaixo).

Inovador, teve ação marcante na II Bienal Nacional de ArtesPlásticas da Bahia, fechada pela Ditadura Militar, quando foi preso. Seu depoimento à Comissão Estadual da Verdade da Bahia sobre o quadro de resistência cultural na Ditadura Militar é fundamental para entender o período.

Juarez é o primeiro artista plástico a ser eleito para a Academia de Letras da Bahia. Quando a Universidade sofre ataques desqualificadores, é exemplo da contribuição que os professores universitários oferecem à cultural e à sociedade brasileira”

Juarez Paraíso é eleito para a Academia de Letras da Bahia

O artista plástico e professor Juarez Paraíso, um dos nomes mais importantes da cultura baiana contemporânea,foi eleito para a cadeira número 39 da Academia de Letras da Bahia, que teve como último titular o escritor e professor Edivaldo Boaventura, falecido em agosto último. O novo acadêmico tomará posse em solenidade cuja data ainda será anunciada.

Esta é a primeira vez que a centenária Academia de Letras da Bahia recebe para os seus quadros de acadêmicos um artista plástico. Interessante observar que a eleição de Juarez Paraíso, ocorrida nesta segunda-feira, dia 10 de dezembro, coincidiu com a data de aniversário de Edivaldo Boaventura, de quem era grande amigo.

Juarez Paraíso iniciou sua carreira artística na década de 1950, angariando duas premiações no 2º Salão Universitário Baiano de Belas Artes, realizado em 1952, em Salvador. Em seguida, destacou-se como membro da segunda geração modernista da Bahia, tendo realizado sua primeira exposição individual em 1960, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia. Participou de inúmeras exposições e teve elogiada atuação no ensino superior na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, onde veio a ser professor e diretor.

Nos anos 1960, Juarez Paraíso produziu importantes trabalhos de arte abstrata em desenho e gravura e em obras murais figurativas e abstratas, ocupando inclusive espaços públicos de Salvador. A continuidade das atividades com murais se prolongou nas décadas seguintes. Nessa sua trajetória, a poética visual de Paraíso apresenta características de dinamismo, organicidade e sensualidade, com destaque na utilização da linha como elemento básico das composições, bem como nas experimentações em diversas técnicas e no desenvolvimento de pesquisas artísticas.

D. Emanuel toma posse como membro da Academia Portuguesa de História

O arquiabade do Mosteiro de São Bento, Dom Emanuel D`Able do Amaral,tomou posse como membro da Academia Portuguesa de História, sediada em Lisboa, Portugal, em cerimônia que aconteceu na Academia Portuguesa de História na última quarta-feira, dia 5 de dezembro, dentro da programação de encerramento das atividades do ano acadêmico de 2018. Na ocasião, o religioso ministrou palestra sobre o tema “A Fundação do Mosteiro de São Sebastião da Bahia”. Na mesma solenidade, também foram entregues os prêmios a personalidades destacadas neste ano pela instituição. O ato foi presidido pela ministra da Cultura de Portugal, Graça Fonseca. Em tempo: Dom Emanuel é também membro da Academia de Letras da Bahia.Posse D. Emanuel 1Posse D. Emanuel 4Posse D. Emanuel 3Posse D. Emanuel 2

Curso com Fredie Didier movimenta a ALB

A Academia de Letras da Bahia realizou na tarde de ontem, dia 5 de dezembro, das 14 às 17 horas, o mini-curso “Incidente de resolução de demandas repetitivas e Incidente de assunção de competência”, ministrado pelo professor Fredie Didier Jr. O curso abordou dois dos principais institutos do novo Código de Processo Civil brasileiro, ambos dedicados à formação de precedentes obrigatórios.