Morre o acadêmico e professor Edivaldo Boaventura

Edivaldo-Boaventura-12

Foto: Fábio Marconi

Nota de falecimento

A Academia de Letras da Bahia se solidariza com os familiares do acadêmico e amigo Edivaldo Machado Boaventura, falecido nesta terça-feira (21.08), aos 84 anos. O intelectual não resistiu às complicações de um procedimento cardíaco. Atual vice presidente da instituição, mas considerado pelos confrades como eterno presidente, Boaventura integrava o sodalício literário desde 1971, quando, aos 38 anos, assumiu a Cadeira nº 39. Carinhosamente chamado pelos confrades de “chanceler da cultura baiana”, Edivaldo Boaventura era uma apaixonado pelos campos das ciências, letras e artes, tendo dirigido por produtivos anos a Secretaria de Educação do Estado e o jornal A TARDE, periódico de maior circulação do Norte e Nordeste. Foi inclusive neste período que ele fundou a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), na qual foi reitor, e ajudou também na criação da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), município onde nasceu.

Formou-se bacharel em Direito e em Ciências Sociais, ambas graduações pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), instituição que mais tarde o agraciaria com o título de professor emérito. Eram inúmeras as instituições da qual ele integrava o quadro de membros. Podemos citar, por exemplo, a Academia de Letras Jurídicas, Academia de Ciências da Bahia, Academia Brasileira de Educação, Academia de Letras de Feira de Santana, benemérito da Conquistense, correspondente da de Campos de Jordão, e das Letras e Artes Mater Salvatoris. Foi também sócio do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB). Acrescente-se à sua biografia o título de Comendador e Grande Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique, Officier de l`Ordre des Palmes Académiques, Oficial da Ordem do Mérito Militar. A última homenagem em vida veio do governo português com a “Ordem da Instrução Pública no grau de Comendador” pelos serviços prestados à educação e cultura nos dois países de língua portuguesa, em 2018.

ALB

Edvaldo Boaventura era um entusiasta quando o assunto era a Academia de Letras da Bahia. Foram mais de 45 anos frequentando e atuando em prol da instituição literária. Conhecia cada detalhe, cada espaço da casa de cultura. Membro benfeitor, presidiu a agremiação no mandato de 2007 a 2011. Sua liderança era inquestionável, sempre disposto a compartilhar e ouvir interesses intelectuais. “É um gentleman”, diziam repetidamente os colegas sobre o seu modo educado de tratar as pessoas. Recentemente, esteve à frente, junto com outros confrades, da organização do centenário da ALB. Participar das sessões ordinárias, extraordinárias e de todos os eventos realizados no Solar Góes Calmon sempre foi motivo de aprendizado para ele. “É o espaço para agregar ideias”, disse durante uma das suas conferências. A biblioteca e o arquivo eram paradas obrigatórias por ele, sempre enriquecendo os espaços com algo de bom, seja um novo livro ou artigo escrito.

Sem dúvidas, a Academia de Letras da Bahia, como instituição que preserva a memória cultural do Estado, fará da obra de Edivaldo Machado Boaventura um legado a ser transmitido para a formação de todas as gerações baianas. A ALB, com grande pesar, decreta luto oficial por três dias e a suspensão das atividades acadêmicas no dia 23 de agosto (quinta-feira), quando ocorrerá, às 15h, o seu sepultamento, no cemitério Jardim da Saudade.

Anúncios

Acadêmico Fredie Didier Jr. promove minicurso sobre negócios jurídicos processuais

O professor e membro da Academia de Letras da Bahia, Fredie Didier Jr., promove, no dia 19 de setembro (quarta-feira), das 14h às 17h, o minicurso “Negócios Jurídicos Processuais”. O evento acontece na sede da ALB, no bairro de Nazaré. Voltado a estudantes de direito, advogados, defensores públicos e integrantes do Ministério Público, a discussão visa capacitar os operadores do Direito na compreensão e no uso dos negócios jurídicos processuais, uma das principais novidades do novo Código de Processo Civil brasileiro. As inscrições custam R$25 e podem ser realizadas neste LINK.

A Academia de Letras da Bahia está localizada na Avenida Joana Angélica, nº 198, bairro de Nazaré. Maiores informações pelo e-mail contato@academiadeletrasdabahia.org.br.

Confira as fotos da palestra de Cleise Mendes sobre Antonin Artaud

A acadêmica Cleise Mendes falou sobre a obra do poeta, dramaturgo e cineasta francês, Antonin Artaud. A palestra aconteceu nesta quinta-feira (16.08) na sede da Academia de Letras da Bahia, em Nazaré. Ela abordou os aspectos que unem o surrealismo e o sucesso, uma das marcas da produção intelectual de Artaud.

  • Confira as fotos do encontro:

Dom Emanuel d’Able do Amaral realiza palestra sobre a cultura da ordem de São Bento

Foto: Fernando Vivas – A Tarde – 18/03/2012

O acadêmico Dom Emanuel d’Able do Amaral, ocupante da Cadeira nº 37 da Academia de Letras da Bahia, ministrará, no dia 23 de agosto (quinta-feira), às 17h, a palestra “A ordem de São Bento e a cultura”. O encontro acontece no Solar Góes Calmon, em Nazaré. Dom Emanuel d’Able do Amaral é arquiabade do Mosteiro de São Bento, em Salvador (BA).

Acadêmico Armando Avena lança livro sobre Maria Madalena

O acadêmico Armando Avena estará lançando o livro Maria Madalena: O Evangelho Segundo Maria (A história contada pelas mulheres), da Geração Editorial, na próxima quarta-feira (22.08), das 17h às 21h30, na Livraria Cultura do Shopping Salvador. O livro se baseia num evangelho cóptico do século II descoberto no século passado e que coloca Maria como discípula de Jesus. Com um texto altivo, de enorme beleza literária, este Evangelho feminino vai encantar todo aquele que tiver a coragem de lê-lo.

Florisvaldo Mattos lança segunda edição de livro sobre a Revolução dos Alfaiates

O acadêmico, poeta e jornalista Florisvaldo Mattos apresenta, no dia 24 de agosto (sexta-feira), no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), no bairro da Piedade, a segunda edição do livro “A comunicação social na Revolução dos Alfaiates”, de 1998. Há 220 anos ocorria o movimento emancipacionista que abalou o cenário colonial e urbano da então Cidade da Bahia. Nesse sentido, a obra registra o pioneirismo baiano na utilização da comunicação pública como instrumento de mobilização política nesta que é popularmente conhecida como a Revolta dos Búzios, também chamada de Conjuração Baiana, Revolta dos Alfaiates ou Revolta das Argolinhas.

O livro é fruto de uma dissertação de mestrado em Ciências Sociais na Universidade Federal da Bahia (Ufba). O evento inicia às 18 horas, com entrada aberta ao público.

Fonte: ABI

João Carlos Salles é oficializado como reitor da UFBA por mais quatro anos

O Diário Oficial da União desta terça-feira (14 de agosto) oficializou, por meio de decreto assinado pelo presidente Michel Temer, a recondução do professor e filósofo João Carlos Salles para o cargo de reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), pelos próximos quatro anos. Salles é membro da Academia de Letras da Bahia e da Academia de Ciências da Bahia.

Graduado e mestre em Filosofia pela UFBA, e doutor pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), João Carlos Salles Pires da Silva é professor do Departamento de Filosofia e já exerceu o cargo de diretor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) da UFBA. Em sua trajetória acadêmica, organizou e publicou 25 livros, entre os quais A Gramática das Cores em Wittgenstein (2002), O Cético e o Enxadrista: Significação e Experiência em Wittgenstein (2012), Filosofia, Política e Universidade (2016), A Cláusula Zero do Conhecimento: Estudos sobre Wittgenstein e Ernest Sosa (2017) e Análise & Gramática: Mais estudos sobre Ernest Sosa e Wittgenstein (2018).

Também restabeleceu e traduziu o texto das Anotações sobre as Cores, de Wittgenstein, publicado em edição bilíngue pela Editora da Unicamp, em 2009. Foi, por dois mandatos, presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (ANPOF) e preside, desde 2013, a Sociedade Interamericana de Filosofia (SIF). Atualmente, é 1° vice-presidente da Associação Nacional das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), com mandato de um ano.

Fonte: Academia de Ciências da Bahia