ALB e Assembleia Legislativa relançam mais dois livros de autores baianos

A Academia de Letras da Bahia, em parceria com a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), promove no dia 14 de dezembro (quinta-feira), às 18 horas, o lançamento da reedição dos livros Tragédia Épica (Guerra de Canudos), do poeta Francisco Mangabeira, e Antologia Poética e Inéditos, do acadêmico e jornalista Florisvaldo Mattos. O projeto, que integra a Coleção Mestres da Literatura Baiana, já relançou, ao todo, 15 obras literárias com o objetivo de difundir e preservar livros esgotados nas principais prateleiras do país. Escritores como Ruy Espinheira, Wilson Lins, Vasconcelos Maia e João Carlos Teixeira Gomes (Joca) são alguns dos nomes que já tiveram publicações reeditadas. O evento acontece no Solar Góes Calmon, sede da ALB, no bairro de Nazaré.

Anúncios

Ultima visita guiada do ano é realizada à sede da ALB

A última visita guiada de 2017 foi realizada à sede da Academia de Letras da Bahia no dia 27 de novembro (segunda-feira). O projeto intitulado Ponto de Cultura Espaço das Letras recebeu 40 alunos do Colégio Estadual Professora Noêmia Rêgo, situado no bairro de Valéria.

Os estudantes conheceram de perto as instalações da instituição literária, onde puderam saber um pouco da história da entidade centenária, como o ano de sua instalação, nome do fundador, funções, quadros, pinturas, exposições, galeria dos presidentes, bustos, bibliotecas, arquivos, auditórios, dentre outros detalhes sobre o espaço cultural. Houve também sorteios dos livros que concorreram ao Prêmio Nacional de Literatura da ALB, em 2016. Ao longo deste ano, outras visitas foram realizadas por escolas baianas ao Solar Góes Calmon, situado no bairro de Nazaré. A pretensão é dar continuidade ao projeto em 2018.

 

Fredie Didier Jr. é o novo imortal da Cadeira nº 10 da Academia de Letras da Bahia

Ao ser empossado na noite desta quinta-feira (30) como o mais novo membro da Academia de Letras da Bahia, Fredie Didier Jr. fez questão de fazer um agradecimento especial a todos os professores que o ajudaram para a sua formação intelectual. Com uma obra dedicada ao estudo do direito processual civil, Didier exerce o cargo de docente da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Ele foi também um dos revisores do Novo Código de Processo Civil brasileiro.
“Estou aqui por causa dos meus professores. Todos eles permanecem em mim. Somente terei sido um bom professor, e com isso satisfazer o mais recôndito dos meus quereres, se me tornar para meus alunos aquilo que meus professores foram para mim. Se isso acontecer, aí, sim, e finalmente, terei alcançado a imortalidade”, disse Didier em seu discurso de posse.

Autor de obras de ciência jurídica, ele descreveu o magistério como sendo seguramente a dimensão mais significativa de existência. “Tenho a forte impressão de que foi a condição de professor há quase 20 anos que me trouxe aqui, e é bem provável que o último desejo de fazer parte desta Academia decorra da percepção de que por aqui estão e estiveram os melhores professores e professoras da Bahia. Está ao lado deles e delas parece a minha chancela definitiva que sou um bom professor. Talvez lá no fundo, e de modo inconsciente, que delicadamente acaricia a minha vaidade, seja o reconhecimento que sou um bom professor”, completou.

Não é a toa que foi o seu professor durante o curso de graduação na Faculdade de Direito da Ufba o escolhido para saudá-lo como imortal da Cadeira nº 10 da ALB. Em sua fala, o acadêmico Paulo Furtado, desembargador aposentado, deus as boas vindas ao novo confrade.
“Tenho que confessar que ao requerer a minha aposentadoria, após 35 anos na Faculdade de Direito da Ufba, enfrentei uma angústia até então nunca sentida. A de pensar quem ocuparia a cátedra que com amor extremo havia eu ocupado durante tanto tempo. Para a minha alegria experimentei a satisfação de ver que um de meus brilhantes alunos, após o curso legal, seria o responsável pela continuidade do cansativo, porém prazeroso trabalho de formar novos processualistas. Não poderia ser mais feliz, para mim, minha sucessão. Fredie angariou, com a exitosa carreira que construiu profissionalmente, o respeito e a admiração da comunidade jurídica nacional”, elogiou.

Furtado salientou a Fredie Didier Jr. sobre a responsabilidade dele assumir o lugar que anteriormente pertenceu ao Monsenhor Gaspar Sadoc da Natividade, falecido em 2016, e quem o jurista classificou como sendo “especial, grande em tudo. O maior orador nato de nosso tempo”.
“Há homens que não morrem. Não morrem nunca, e Gaspar Sadoc é um deles. Notadamente, pelo exemplo vivo que legou a todos de nossa geração e das gerações futuras. Tal como uma estrela, permanece. Podemos vê-las e sentir em seu brilho a sua permanência entre nós. Olhando os cometas, passageiros e eternos, descobrimos que alguns homens são eternos. São luzes nos momentos escuros; paz nos momentos de fraqueza; seguranças nos momentos de insegurança”, concluiu.

Coleção de livros do acadêmico Cid Teixeira será lançada no próximo dia 5

O acadêmico e historiador Cid Teixeira terá uma coleção de livros de sua autoria lançada na próxima terça-feira (05.12). Organizada por Fernando Oberlaender, a coletânea – editada pela Caramurê Publicações – foi intitulada “Salvador, uma viagem fotográfica”, reunindo obras como Vistas na Cidade da Bahia, uma visão geral de Salvador; Cidade Alta; Cidade Baixa; e Transportes na Cidade da Bahia. O evento acontece no Shopping Barra, piso L2, a partir das 18:30h. A entrada é aberta ao público.

Obra intelectual do médico Itazil Benício dos Santos é lembrada pela ALB

O primeiro professor titular da cadeira de radiologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba) foi homenageado nesta terça-feira (28) pelo centenário de seu nascimento (1917-2017). Trata-se de Itazil Benício dos Santos, médico e escritor baiano que, ao longo da sua trajetória profissional, publicou doze livros sobre temas relacionados à medicina e outras seis obras literárias. A homenagem aconteceu na Academia de Letras da Bahia, instituição que ele integrou até a sua morte, em 1999.

Familiares e amigos estiveram presentes ao sodalício para ouvir a história de vida do intelectual ser contada pelo também médico – e membro benfeitor da ALB – Aramis Ribeiro Costa, acadêmico que sucedeu Itazil Benício dos Santos na Cadeira nº 12. “Itazil trazia com ele a sobriedade e comedimento dos que lidam com a ciência, unidos à sensibilidade dos que se comovem com a literatura. Seus argumentos eram serenos, mas lúcidos e firmes. Ao falar, demonstrava perfeitamente que seus conhecimentos não se limitavam à sua especialidade médica, da qual era uma  autoridade indiscutível, nem mesmo à própria medicina, mas abrangiam a literatura, o que justificava a sua presença nesta Casa”, disse Ribeiro Costa em seu discurso.

Nascido em Itabuna, Itazil Benício dos Santos possuía ainda adolescente o desejo de seguir a sua vocação como escritor, mas a vontade do pai para que se tornasse médico acabou unindo o que posteriormente seriam as suas duas grandes paixões. “A escrita e a radiologia”, complementou o filho Marcos Benício. O herdeiro foi também responsável por organizar uma coletânea de artigos – transformados em livro – escritos pelo pai. O exemplar foi distribuído ao público durante o evento. O encontro ainda contou com a presença do diretor da Faculdade de Medicina da Ufba, Luis Fernando Fernandes Adan, entre outras autoridades.

 

Livro organizado por Edilene Matos discute obra do poeta Fernando da Rocha Peres

O imortal da Academia de Letras da Bahia Fernando da Rocha Peres será homenageado, no dia 06 de dezembro (quarta-feira), com o lançamento do livro organizado pela confrade Edilene Matos. Intitulado Fernando da Rocha Peres: múltiplos olhares, a obra é resultado do seminário coordenado por ela em 2016 em reverência aos 80 anos do poeta baiano, e conta com textos – escritos por professores – sobre trabalhos realizados pelo intelectual. Publicado pela editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba), o evento acontece na sede da ALB, no bairro de Nazaré, às 18h.

Reitor da Ufba lança livro nesta quarta-feira (24)

O membro da Academia de Letras da Bahia e reitor da Universidade Federal da Bahia, o filósofo João Carlos Salles, lança nesta quarta-feira (24) o livro A Cláusula Zero do Conhecimento. A solenidade acontece na Reitoria da Ufba, no bairro do Canela, às 17h. Publicado pela Quarteto Editora, a obra apresenta estudos sobre o filósofo austríaco Ludwig Joseph Johann Wittgenstein, um dos principais atores da virada linguística na filosofia do século XX, e o também filósofo cubano – radicado no EUA – Ernest Sosa, estudioso da epistemologia, ramo da filosofia que trata da natureza, etapas e limites do conhecimento humano. A entrada é aberta ao público.