Joaci Góes discursa em homenagem a João Falcão

Foi realizada no último dia 22/09/2011 a sessão em homenagem ao saudoso acadêmico João Falcão. Nesta oportunidade coube ao acadêmico Joaci Góes homenageá-lo. Abaixo estão o áudio da fala de Joaci Góes e também o arquivo oficial em formato PDF.

20-05-2011 Foto: Leonardo de Moraes

[audio:http://www.academiadeletrasdabahia.org.br/blog/audio/joacijf.mp3%5D
Necrológio de João Falcão

Necrológio de João Falcão

Lídice da Mata presta homenagem a João da Costa Falcão

Senadora Lídice da Mata Em discurso no Plenário nesta segunda-feira (1º), a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) lamentou a morte de João da Costa Falcão. Jornalista, escritor e empresário baiano, Falcão morreu na última quarta-feira (27) aos 92 anos, em Salvador (BA).

[audio:http://www.academiadeletrasdabahia.org.br/blog/audio/lidice.mp3%5D

Lídice lembrou que Falcão nasceu em 1919, em Feira de Santana (BA), e se formou em Direito na capital baiana. A senadora contou que Falcão foi militante do Partido Comunista (PCB) e, por sua atuação política, foi expulso do Exército, preso e passou a atuar na clandestinidade. Em 1954, foi eleito deputado federal pela Bahia.

Falcão fundou, em 1958, o Jornal da Bahia. Segundo Lídice da Mata, Falcão revolucionou a forma de fazer jornal na Bahia, já que se tratava de “um jornal de resistência política e enfrentou o governo do estado, não acostumado com uma imprensa imparcial”. A senadora disse que o jornal foi criado em parceria com intelectuais importantes no cenário baiano e teve o cineasta Glauber Rocha, o escritor João Ubaldo Ribeiro e o cantor Tom Zé entre seus colaboradores.

De acordo com a parlamentar baiana, Falcão fundou várias empresas, atuou como diretor de banco, e foi membro do conselho das Obras Sociais de Irmã Dulce (Osid). Em 2010, Falcão ingressou na Academia Baiana de Letras. Como escritor, publicou vários livros como O Partido Comunista que eu Conheci e Valeu a Pena, sua autobiografia. Para a senadora, a Bahia perde um político que marcou sua história em sua luta pela defesa da soberania nacional e das liberdades democráticas.

– A vida de João da Costa Falcão foi um exemplo de tenacidade e resistência política – afirmou.

Agência Senado

João Falcão passa à imortalidade aos 92 anos

O fundador do Jornal da Bahia, escritor, jornalista, empresário e acadêmico, João Falcão, de 92 anos, faleceu no início da noite desta quarta-feira (27).

Ao saber da morte do jornalista, o presidente da Associação Bahiana de Imprensa (ABI) e da Tribuna da Bahia, Walter Pinheiro, disse que a “Bahia perdeu um idealista, empreendedor, um guerreiro e intelectual. E eu perdi um amigo”. De acordo com ele, ainda no último dia 15, “o convidávamos para o lançamento da Medalha pelo Bi-Centenário da Imprensa Baiana, quando também seria homenageado, e ele, com a lhaneza de sempre, justificava a ausência, em face do tratamento a que vinha se submetendo”.

“Foi-se a última chance de agraciá-lo – em vida – com uma honraria que, em parte, saldaria o grande débito que a Bahia alimentou perante João Falcão, diante de sua incessante luta pela liberdade de imprensa, por uma sociedade mais justa e pelo desenvolvimento do nosso Estado.”

Sempre lembrado pelo lema “Não deixe esta chama se apagar”, com o que manteve nas ruas o Jornal da Bahia, mesmo ao transferir o seu controle acionário, nunca perdeu a imagem de um destemido escriba, lançando livros que preservaram a memória de um baiano cujos exemplos haverão de ser cultivados pelas gerações que se seguem”, concluiu Walter Pinheiro.

Acesse a biografia completa de João falcão aqui.