Cyro de Mattos é eleito para a Academia de Letras da Bahia

IMG-20160816-WA0020

A Academia de Letras da Bahia realizou nesta segunda-feira, 15 de agosto, eleição para escolha do novo ocupante da cadeira nº 22, que pertenceu ao poeta Clóvis Lima, falecido em março deste ano. O eleito foi o escritor itabunense Cyro de Mattos, que é contista, poeta, cronista, ensaísta, autor de livros infantis premiados e membro da Academia de Letras de Itabuna.

Os quase 40 livros já publicados garantiram a Cyro de Mattos mais de 50 prêmios literários, entre eles, o Prêmio Nacional de Ficção Afonso Arinos, concedido pela Academia Brasileira de Letras para o livro “Os Brabos”, o Prêmio Jabuti (menção honrosa) para “Os Recuados” e o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte para “O Menino Camelô”, entre outros. O lançamento mais recente do autor é o romance “Os Ventos Gemedores”, de 2015, que narra as aventuras e conflitos de um ambicioso migrante do agreste para o sul da Bahia, em busca de terras e riquezas.

Nascido em janeiro de 1939, Cyro de Mattos é diplomado em Direito pela Universidade Federal da Bahia, tendo atuado como advogado durante 40 anos nas comarcas da região cacaueira da Bahia. Jornalista com passagem na imprensa, foi redator do ‘Diário de Notícias’, ‘Jornal do Comércio’ e ‘O Jornal’ e nas revistas ‘A Cigarra’, ‘Cadernos Brasileiros’ e ‘Leitura’, além dos suplementos literários do ’Jornal do Brasil’, ‘A Tarde’, entre outros periódicos.

A cadeira n. 22 da Academia de Letras da Bahia tem como patrono José Maria da Silva Paranhos, o Visconde do Rio Branco. Foi fundada pelo magistrado Ruy Barbosa e já foi ocupada pelo educador Ernesto Carneiro Ribeiro Filho e por Aloísio Henrique de Barros Porto. A data da posse de Cyro de Mattos ainda será marcada.

Anúncios

Carlos Ayres Britto tomará posse na Academia de Letras da Bahia

O jurista e poeta brasileiro Carlos Augusto Ayres de Freitas Britto, que foi ministro do Supremo Tribunal Federal, entre de 2003 e 2012, tendo sido presidente daquela corte, será o mais novo membro correspondente da Academia de Letras da Bahia. A sessão de posse será realizada nesta quinta-feira, 18 de agosto, às 19h, no Palacete Góes Calmon (Avenida Joana Angélica, 198, Nazaré). A saudação será feita pelo acadêmico Luís Antônio Cajazeira Ramos. Ayres Britto é autor de diversas obras jurídicas e de poesia, além de ser membro da Academia Brasileira de Letras Jurídicas e da Academia Sergipana de Letras.

Nascido em Propriá, em Sergipe, em 18 de novembro de 1942, Carlos Ayres Britto é poeta, professor, magistrado e jurista. É bacharel em Direito pela Universidade Federal de Sergipe, mestre e doutor pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Em Sergipe, foi consultor-geral do Estado, procurador-geral de Justiça e procurador do Tribunal de Contas. Em 2003 foi nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal. Foi presidente do Tribunal Superior Eleitoral, do Conselho Nacional de Justiça e do próprio Supremo Tribunal Federal, em 2012, ano da sua aposentadoria.

Na esfera jurídica, Ayres Britto publicou os livros Jurisprudência administrativa e judicial em matéria de servidor público’, ‘Interpretação e aplicabilidade das normas constitucionais’, ‘O perfil constitucional da licitação’, ‘Teoria da Constituição’ e ‘O humanismo como categoria constitucional’. No campo literário, é autor dos livros de poesia ‘Teletempo’, ‘Um lugar chamado luz’, ‘Uma quarta de farinha’, ‘A pele do ar’ e ‘Varal de borboletras’.

Ayres Britto